Estudo da Universidade de Coimbra contribui para a prevenção de infeções hospitalares

Paula Morais_coordenadora e Pedro Farias_primeiro autor do artigo

 

 

Uma equipa da Universidade de Coimbra, liderada por Paula Morais, do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia, realizou um estudo para conhecer as condições ambientais hospitalares propícias à colonização e multiplicação de estirpes de bactérias responsáveis por infeções nosocomiais (infecções contraídas durante o internamento), bem como a sua distribuição espacial. Aliás, este foi o objectivo principal deste estudo microbiológico.

 

 

 

Os investigadores da Universidade de Coimbra analisaram cerca de duas centenas de amostras recolhidas nos serviços de Hematologia, Urologia, Medicina e Transplantes Renais dos dois hospitais, tendo detectado um número elevado de bactérias em equipamentos e superfícies de zonas húmidas. Por outro lado, a diversidade das bactérias estava relacionada com os utilizadores (área dos doentes e área dos profissionais de saúde), mostrando que os utilizadores são importantes contribuidores para a comunidade microbiana do espaço.

 

 

 

Em 50% das amostras recolhidas, os investigadores detectaram a presença de inúmeras bactérias, incluindo a Pseudomonas aeruginosa, que é extremamente resistente aos desinfetantes.

 

 

 

Este estudo da Universidade de Coimbra ficou-se na dispersão das bactérias no ambiente hospitalar e de que forma estas podem prejudicar a saúde dos frequentadores deste espaço.

 

 

 

Para a coordenadora desta investigação, que é a primeiro dedicado ao ambiente hospitalar publicado em Portugal, visa essencialmente “conhecer para melhorar o ambiente hospitalar“. Já que com um maior conhecimento é possível tomar decisões mais acertadas. “Sabendo-se que o ambiente hospitalar é um grande ‘armazém’ de microrganismos, onde ocorrem interações complexas, a informação sobre a distribuição e as condições propícias à colonização e multiplicação destas bactérias é essencial para a adopção de medidas adequadas de prevenção e controlo de infecções hospitalares“, conclui Paula Morais.

 

 

 

O “Journal of Microbiology” já publicou este estudo e evidenciou que os pontos de distribuição de água formados nas torneiras contribuem para a colonização e multiplicação das comunidades microbianas avaliadas.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 08/01/2018


About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

_