“Vidago Palace” é uma aposta de luxo da direcção de programas da RTP

Vidago

Vidago

 

“Vidago Palace” é a mais recente aposta da RTP para o horário nobre das noites de quinta-feira. Esta série é a primeira co-produção entre a estação pública e a TV Galicia, já tendo estreado no país vizinho.

 

 

Durante os quase dois meses uma equipa composta por elementos portugueses e espanhóis que se reuniu no Vidago Palace Hotel. Desde o realizador, actores e restante equipa técnica fizeram de tudo para transmitir os sentimentos e o estilo de vida típico nos anos 30 do século passado.

 

 

Este projecto tem essencialmente orçamento português“, conta Daniel Deusdado, director de programas da RTP. A estação pública esteve ao lado do realizador Henrique Oliveira desde o primeiro momento. Para além dos apoios da estação e da TV Galicia, “Vidago Palace” conta com o apoio financeiro do ICA, instituição que também apoia o audiovisual.

 

 

A relação que a Galiza tem com Portugal é completamente diferente da que tem com Madrid. A TV Galiza é uma televisão que tem quase a dimensão da RTP“, explica o director de programas.

 

 

“Vidago Palace” é uma das grandes apostas da estação pública para o ano de 2017, em conjunto com “Ministério do Tempo”, que vai ter uma segunda temporada. Só que estas não serão as únicas apostas da direcção de programas do canal. Alguns dos outros trabalhos de época que estão a ser preparados são: “Madre Paula” (baseada no livro escrito por Patrícia Muller e que retrata os amores da Madre do Mosteiro de Odivelas com o Rei D.João V), as eleições de 1985 (estas eleições presidenciais opuseram Mário Soares a Álvaro Cunhal) e uma série sobre Snu Abecanasis, Vera Lagoa e Natália Correia.

 

 

“Vidago Palace” tem 6 episódios e é da autoria de Henrique Oliveira, que na estação pública foi responsável por séries como “As mulheres de Abril” e “Major Alvega”, grande sucesso da RTP nos anos 90.

 

 

 

As séries são uma aposta da direcção de programas da RTP desde “Bem-vindos a Beirais” para o horário nobre, faixa horária normalmente ocupada em outros canais por telenovelas.

 

 

 

O problema aqui quando se olha para a RTP é que nós precisamos de preservar o património histórico português e esse é um problema pois nós estamos aqui no estamos a fazer num território onde os privados não estão. Se não se preservar a memória de um pais a partir da ficção, nós nunca teremos heróis e corremos o risco da futura geração saber só sobre os heróis americanos“, diz Daniel Deusdado que acredita que a preservação da memória colectiva de um país passa pela ficção e se não se realizar ficção histórica no futuro não se saberá quem foi Vasco da Gama e outros heróis nacionais, apenas o que transmitem os filmes americanos.

 

 

Daniel Deusdado com esta nova produção pretende “exportar” a história, ficção e os actores nacionais. Dos 36 actores que fazem parte deste elenco, destacam-se: Pedro Barroso, Mikaela Lupu, Marco António Del Carlo, Anabela Teixeira, Almeno Gonçalves, João Didelet, Margarida Marinho, Custódia Gallego e Maria Henrique.

 

 

 

“Vidago Palace” passa-se durante o verão de 1936. Pelo Vidago Palace Hotel passam diferentes personagens que vão até ao lugar comemorar o casamento de Carlota e César Augusto, só que a jovem filha dos Condes do Vimieiro conhece Pedro e coloca tudo em causa. Fora dos portões do parque do Vidago, no lado da fronteira espanhola, desenrola-se uma guerra civil destruidora que coloca pais contra filhos, irmãos contra irmãos ou amigos contra amigos. É neste contexto histórico que a história do “Vidago Palace” se desenrola.

 

 

“Vidago Palace” pode ser visto todas as quintas-feiras às 21:00 na RTP.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 30/03/2017

Tagged with:     , , ,

About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

_