A arte, cultura e a história vão ficar celebradas em moedas comemorativas

carlos_lopes

carlos_lopes

 

Carlos Lopes, Siza Vieira (esta moeda será assinada pelo outro vencedor português do prémio Pritzker, Eduardo Souto Moura), os 150 anos da Polícia de Segurança Pública ou o Centenário das Aparições de Fátima são algumas das figuras/acontecimentos que poderão ser encontrados nas moedas comemorativas do INCM ( Imprensa Nacional-Casa da Moeda) para 2017.

 

 

Este ano, pela primeira vez, vai ser produzida em Portugal uma moeda corrente colorida. Esta moeda de colecção combina o metal e o acrílico, uma novidade numismática que procura recriar a ampla utilização do ferro e do vidro na arquitectura do século XIX (moeda de colecção Idade do Ferro e do Vidro – Série Europa – Idades da Europa).

 

Em 2017, as moedas de colecção são dedicadas a Álvaro Siza Vieira (série Arquitectura Portuguesa), ao campeão olímpico Carlos Lopes, que conquistou a medalha de ouro em maratona nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984, batendo então o recorde mundial da prova (série Ídolos do Desporto); à rainha D. Maria Bárbara de Bragança (série Rainhas da Europa); ao Centenário das Aparições de Fátima (o INCM associa-se a este acontecimento de enorme relevância sociocultural, com repercussão em todo o mundo católico, cunhando uma moeda de colecção comemorativa. Nesta moeda, a escultora Clara Menéres fez representar a uma imagem da Virgem inspirada na criação do santeiro José Thandim, com o rosário, a azinheira e a coroa); aos Caretos de Trás-os-Montes, um dos principais elementos da cultura nacional portuguesa (série Etnografia Portuguesa); às maravilhas naturais da ilha da Madeira, vencedora do prémio para melhor ilha do mundo para fazer turismo (série Ibero-Americana); à Idade do Ferro e do Vidro (série Europa – Idades da Europa) e ao tema O Futuro (série Desenhar a Moeda); enquanto as moedas correntes assinalam os 150 Anos da Segurança Pública e os 150 Anos do Nascimento de Raul Brandão, militar, jornalista e escritor, natural da Foz do Douro, autor de uma das obras mais profícuas e diversificadas na história da literatura portuguesa, que acabaria por influenciar autores de várias gerações. Para assinalar esta efeméride, será cunhada uma moeda corrente comemorativa de 2 Euros, assinada pelo artista visual Luís Filipe de Abreu.

 

 

 

As dez moedas foram desenhadas por individualidades das artes visuais contemporâneas, entre as quais, José de Guimarães, Eduardo Aires, André Carrilho, João Fazenda e Luís Filipe de Abreu, dando relevo ao melhor que se faz na arquitectura, na etnografia e as grandes figuras do desporto nacional, entre outros valores e temáticas da cultura portuguesa e internacional.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 19/02/2017

Tagged with:    

About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

_