Comunicado do Teatro Experimental do Porto

 

 

 

O Teatro Experimental do Porto emitiu um comunicado sobre os apoios, ou falta deles, da DGArtes. Transcrevemos o comunicado na íntegra.

 

 

 

O Teatro Experimental do Porto ficou a saber ontem, dia 15 de Maio de 2018, através de um email enviado às 19h50m, pelo endereço info@dgartes.pt, que a Comissão de Apreciação das candidaturas ao Programa de Apoio Sustentado às Artes 2018-2021 para o Teatro, relativamente à pronúncia apresentada pelo Teatro Experimental do Porto em sede de audiência de interessados, considerou que a mesma, “não traz quaisquer argumentos que possam contribuir para a reapreciação da sua candidatura”, acrescentando que “não encontra fundamentos para alterar a pontuação atribuída…”.

Consideramos esta decisão injusta, tanto quanto infundada, pela exiguidade ou mesmo ausência de argumentos que a sustentem.

 A direcção do Círculo de Cultura Teatral/Teatro Experimental do Porto decidiu continuar a fazer valer os seus direitos conferidos pelo Decreto-Lei nº103/2017 de 24 de Agosto que regula este programa de apoios, avançando no prazo estipulado para um recurso hierárquico, previsto no artigo 29º.

Ao mesmo tempo, faremos todas as diligências políticas necessárias, para que seja reconhecido o valor e o mérito artístico, cultural e histórico desta associação que completa em Junho de 2018, 65 anos de actividade ininterrupta, e que vivia no momento presente uma fase de consolidação e reconhecimento do seu projecto artístico e planeava, através desta candidatura, dar continuidade à abertura a novos criadores e à inegável matriz experimental que tem manifestado.

Esperamos, deste modo, evitar o cancelamento dramático das actividades previstas para este ano, a saber: A Teoria das três Idades com encenação de Sara Barros Leitão com estreia a 18 de Junho (aniversário do TEP) no Teatro Municipal do Porto-Rivoli; Caos Danado, de Eduardo Breda, 18 de Junho (documentário comemorativo dos 65 anos do TEP) no Teatro Municipal do Porto-Rivoli;  Nau! de 7 a 29 de Julho, integrado no programa da CMP Cultura em Expansão; a reposição da Trilogia da Juventude de Gonçalo Amorim e Rui Pina Coelho  no Teatro Nacional D. Maria II, de 11 a 27 de Outubro, e no Teatro Municipal do Porto – Campo Alegre, de 7 a 17 de Novembro; a estreia, a 6 de Dezembro no Teatro Nacional São João, de Verdade ou Consequência, de Gonçalo Amorim e Rui Pina Coelho, além do projecto de peças curtas para o foyer Cozinha(s), a desenvolver-se nos foyers dos teatros respectivos.

O apoio é fundamental para que o TEP prossiga com normalidade a sua actividade e o serviço cultural que presta no território em que se inscreve, bem como no país.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 16/05/2018


About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

_