IndieLisboa: Curtas da secção Silvestre reorganizadas

indie12

indie12

 

Nesta edição do IndieLisboa, a secção Silvestre – Curtas Metragens, tem algumas alterações na organização dos seus programas. Estas alterações aconteceram de forma a garantir mais atenção para os filmes seleccionados. Para tal a organização vai dividir as sessões por temas (animação, um radar para as melhores curtas vistas ao longo do ano e dois programas dedicados ao documentário) e géneros.

 

 

Os dois programas de ficção conjugarão autores consagrados com estreantes: a dupla Valérie Mréjen/ Bertrand Schefer escolheu dois actores de referência de Paul Vecchiali: Jacques Nolot e Pascal Cervo, trabalhando um filme que poderia ser obra do seu mentor. Tom Shoval (em competição no IndieLisboa com “Justification”) volta ao festival com uma curta que acompanha uma mulher em permanente deambulação. O filipino Carlo Francisco Manatad, o brasileiro Gustavo Vinagre e o espanhol Chema Garcia Ibarra estreiam-se no IndieLisboa depois da sua obra ter sido apresentada em múltiplos festivais de cinema.

 

 

 

A programação da secção dedicada à mostra de obras de jovens e consagrados cineastas apresentará as novas obras de Alex Ross Perry (“Golden Exits”), Matias Piñero (“Hermia & Helena”), Radu Jude (“Inimi Cicatrizate”), Vitaly Mansky (“Rodnye (Close Relations)”) e Michael Glawogger (“Untitled”). O foco Silvestre estará na dupla Gusztáv Hámos e Katja Pratschke, realizadores e curadores que têm dedicado o seu trabalho à exploração do fotofilme e das múltiplas relações entre a imagem, fotografia e cinema.

 

 

 

O último programa da Silvestre, a ser apresentado na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, apresentará os trabalhos mais recentes de realizadores consagrados no cinema experimental: Bertrand Mandico, Robert Todd, Robert Cambrinus e Friedl Von Groml, conhecida fotógrafa e companheira de sempre de Peter Kubelka.

 

 

 

Durante o IndieLisboa poderão ser vistas 15 longas metragens (ex.”The City of the Future”, “Berlinda” ou “City of the Sun”); na secção de curtas sobre política estão 5 películas (ex.”Borders”, “Corps” ou “Green Screen Gringo”); 7 de animação (ex.”Anatomy”, “Batfish Soup” ou “Books on Books”); na secção silvestre – curtas: obsessions podem ser vistas 4 películas (ex.”115 DB”, “Protocols” ou “Raymond Tallis | On Tickling”); a secção sobre de ficção está dividida em duas partes, o primeiro com 6 e o segundo com a visualização de quatro curtas, já na secção de curtas de autor podem ser vistos 7 películas (ex.”A Dad”, “Atelier d’expression” ou “Colombi”.

 

 

 

O IndieLisboa 2017 by Allianz é organizado pela IndieLisboa – Associação Cultural e conta com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual e da CML – Câmara Municipal de Lisboa. 

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 14/04/2017

Tagged with:    

About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

_