O que contam os Livros para Crianças sobre o Primeiro Dia de Escola

joao manuel ribeiro

joao manuel ribeiro

 

 

Ansiedade, curiosidade e descoberta são as palavras-chave que melhor descrevem esta experiência singular na vida de qualquer criança: o primeiro dia de escola. Para assinalar esse dia e, porventura, para o prolongar no tempo e na memória, propomos aqui três livros que, de maneira diversa, retratam as emoções de dia tão significativo.  

 

 

 

1- O Gui e o Primeiro Dia de Escola (Leonor Noronha e Clara Campos, Coisas de Ler, 2010)

O Gui não consegue adormecer, ansioso pela manhã seguinte: o seu primeiro dia de escola”. Assim começa a narrativa, sob o signo da ansiedade. Mas, com a ajuda da mãe, que diz ter tido os mesmos sentimentos no seu primeiro dias de escola, do pai, dos amigos Madalena e Joca, que encontra à porta da escola, e da receção da simpática professora Fernanda que começa por lhes fazer “descobrir a escola” (a biblioteca – “um lugar fantástico mesmo para quem não sabe ler”, o ginásio e o campo de futebol e o refeitório, onde a diretora Sandra e alunos de outros anos os recebem com uma “pequena festa”), Gui e os companheiros compreendem que “esta foi a primeira de muitas surpresas que vão ter ao longo do ano” e que, além das aulas, vão “ter atividades divertidas, como visitas de estudo e passeios”. Os receios não têm razão de ser, porque a escola, conclui-se, é um lugar maravilhoso para aprender (a ler o mundo), para brincar e fazer novos amigos.

GUI E O PRIMEIRO DIA DE ESCOLA

 

 

2 – O Primeiro Dia de Escola (António Mota e Paulo Galindro, Edições Asa, junho de 2014)

A Inês “vai ter o seu primeiro dia de escola” e anda muito irrequieta e não para de fazer perguntas ao seu irmão António que vai agora para o 3.º ano de escolaridade. Às perguntas da irmã, o António replica com “respostas estranhas, que é para ela ficar muito admirada, com os olhos muito abertos”, sobre a bizarra comida da cantina, sobre as Letras, que a Inês não compreende e que fazem crescer a ansiedade e o medo.

Felizmente, o avô Júlio apresenta uma escola diferente e conta as peripécias do seu primeiro dia de escola: o facto de ser levado à escola pela avó e não pelos pais, o ter de ir a pé para a escola, os sábios conselhos da avó, de como a escola era pequenina, as dores de barriga provocadas pelo medo, os cabelos brancos da dona Deolinda, a professora, e as muitas e variadas descobertas feitas na sala de aula.

Ouvida a história do avô, também António nos conta como foi o seu primeiro dia de escola, dois anos antes, e prepara-se para, no dia seguinte, na companhia do avô Júlio, acompanhar a irmã Inês na sua entrada na escola. “Amanhã, quando eu e a Inês voltarmos para casa, teremos muitas coisas para contar. Vai ser bom. Volta a confusão!” E, afinal, é só o primeiro de muitos dias de escola! Só?

_o_primeiro_dia_de_escola ANTÓNIO MOTA

 

 

3 – Ali-Saura & o Primeiro Dia de Escola (Richard Torrey, Livros Horizonte, 2016)

Esta é a história de uma menina chamada Alice que gosta tanto, mas tanto, de dinossauros que prefere lhe chamem Ali-saura.

No primeiro dia de escola, apresenta-se aos colegas como se fosse um dinossauro, mastigando com os seus dentes ferozes (Ruáaa!), faz um dinossauro enquanto os colegas fazem etiquetas com os seus nomes para os cubículos, diz que a nuvem que a professora mostra para falar sobre o clima parece um dinossauro, troca as voltas à professora quando esta pede uma palavra começada pela letra A e diz a palavra dinossauro.

À hora de almoço, porém, Ali-saura descobre que na escola há quem goste de leões, dragões, naves espaciais e até piratas e princesas, e que é bom correr como um leão, voar como um dragão, subir como uma nave espacial, afugentar um bando de piratas, beber chá com princesas agradecidas e bater os pés e também rugir pela selva fora como um dinossauro.

Na visita da turma à biblioteca, todos puderam encontrar histórias sobre o que gostavam, como histórias sobre leões, princesas e piratas, lancheiras, dinossauros e também histórias sobre cowboys, piratas, borboletas, coelhinhos…

Com bom humor, ironia e um final surpreendente, a que a ilustração aporta uma construção de sentidos particular (deve ler-se mostrando as ilustrações), este livro divertido celebra a imaginação infantil sem limites e as muitas e gostosas descobertas que a escola, mesmo no primeiro dia, pode provocar.

ALI-SAURA e o primeiro dia de escola

 

 

Boas leituras!

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 06/09/2017

Tagged with:    

About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

_