Tânia Oleiro com três “espectáculos muito intimistas” em Abril!

tania_oleiro

 

 

 

Tânia Oleiro é considerada, pelos pares e pela crítica, como uma das melhores vozes da sua geração no fado. Podemos mesmo afirmar que é uma das vozes mais seguras da actualidade. Acaba de lançar um novo videoclip, “Nova Rosa da Mouraria”, o tema que integra o disco “Terços de Fado”, lançado em 2017 e que agora ganha novo fôlego.

 

Em Abril a fadista tem três espectáculos em Lisboa, que prometem ser muito especiais quer pelos espaços quer pelo alinhamento, e esse foi o ponto de partida para uma entrevista que concedeu ao Infocul.

 

A fadista falou ainda sobre o actual momento do fado, as opiniões a seu respeito e deixou uma mensagem aos leitores do Infocul.

 

Tânia, há o “relançamento” do disco Terços de Fado com o single “Nova Rosa da Mouraria”. Como está a correr?

 

Por razões íntimas, agravadas por perdas pessoais, retomei agora a divulgação do disco ‘Terços de Fado’. Fiz questão de relançar o single “Nova Rosa da Mouraria”, com o lançamento de um videoclip, em exclusivo com o Jornal Público… E não podia estar a correr melhor.

 

Quais as mensagens que tem recebido do público?

 

Foram muitas as expectativas criadas em torno de um disco meu. As pessoas questionaram muito o facto de cantar profissionalmente há 16 anos e de ainda não ter um disco gravado. Amadureci e deixei, então, um registo. Por isso, partilhar agora o meu Fado com um maior leque de pessoas é muito gratificante. As mensagens que tenho recebido têm sido muito positivas, tanto do público anónimo como de pessoas de referência.

 

Verifiquei nas redes sociais que o videoclipe foi partilhado por alguns dos seus colegas. Qual a sensação?

 

É, de facto, uma sensação maravilhosa. Tenho perfeita noção que a grande maioria dos meus pares, alguns deles que até me servem de inspiração, me acolhem da melhor forma possível.

 

Há quem a considere uma das mais importantes vozes do fado, na actualidade. Qual o peso disto?

 

Cada um ocupa o seu lugar. A mim, interessa-me ser fiel ao legado que transporto. Mas é claro, que ver e sentir que o meu trabalho é reconhecido, deixa-me muito feliz e com maior convicção que estou no caminho certo.

Sei que em Abril terá três espectáculos muito especiais, em Lisboa. Onde serão? Quando serão? A que horas serão? E quem pode assistir?

 

Dia 8 de Abril vou participar no Concerto da Primavera da Rádio Amália, no Salão Preto e Prata do Casino Estoril.

Depois, em parceria com a Rádio Amália, estamos a criar um novo espaço, em antena, que permitirá aproximar o público da Rádio, de mim e do disco ‘Terços de Fado’. Assim, farei três concertos em ambiente intimista e exclusivo, junto do público.

Estes três mini-concertos serão nos espaços evocados no disco e onde canto habitualmente:

– Dia 12 de Abril na Mesa de Frades, em Alfama

– Dia 20 de Abril na Maria da Mouraria

– Dia 27 de Abril no restaurante A Muralha, Tapas e Vinhos

 

O que está a preparar para estes espectáculos?

 

São espectáculos muito intimistas que irão assentar no disco ‘Terços de Fado’ e estão a ser pensados com muito carinho e pormenor.

 

Quem a irá acompanhar nestes espectáculos?

 

Faço sempre questão de convidar os músicos que têm uma ligação artística e emocional comigo. Quando possível, tenho comigo os que fizeram parte do disco ´Terços de Fado’. Como é natural, por inúmeras razões, as agendas nem sempre são compatíveis. Mas garanto que me sentirei confortável com qualquer um dos grupos de músicos.

 

Em termos de digressão o que já pode ser revelado?

 

Estamos a trabalhar e estão a ser preparados alguns espectáculos que serão anunciados a seu tempo.

 

Este primeiro disco foi consensual na avaliação feita no meio fado. Esperava este consenso num meio por vezes tão polémico?

 

O Fado é, de facto, um território muito complexo. É uma expressão artística muito intensa e envolto em muitas “forças” fadistas.

Eu tenho tido sempre uma presença muito discreta, pelo discurso, pela postura social. Acho que esse consenso se manifesta por ter avançado sempre com enorme respeito pelo Fado e pelo trabalho dos outros.

 

Em termos de redes sociais onde pode o público interagir consigo?

 

Poderão visitar a minha página oficial do Facebook ‘Tânia Oleiro – Fado’, no Instagram e no site www.taniaoleiro.com.

 

Dedica muito tempo às redes sociais?

 

Parece existir um maior interesse no Fado e este parece ter ganho mais espaço nos meios de comunicação e nas redes sociais. Confesso que a moda da busca incessante pelo novo é uma coisa que me constrange. Mas nós temos que nos adaptar, com o devido bom senso.

Partilhar o meu Fado com o público foi sempre uma das minhas maiores ambições. Por isso, devo-lhes algum do meu tempo, do meu respeito.

 

Qual a mensagem que quer deixar aos leitores do Infocul?

 

Em primeiro lugar, agradeço o interesse e o apoio do Infocul.

Aos leitores, sugiro que se deixem levar pela curiosidade, que dêem oportunidade aos artistas que não conhecem tão bem e que estejam sempre atentos às diversas iniciativas. Muito obrigada!

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 02/04/2018


About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

_