29 de Setembro: Homenagem a Joaquim Bastinhas, uma homenagem ao futuro, exige lotação esgotada!

29 de Setembro: Homenagem a Joaquim Bastinhas, uma homenagem ao futuro, exige lotação esgotada!

29 de Setembro: Homenagem a Joaquim Bastinhas, uma homenagem ao futuro, exige lotação esgotada!
Foto: (Fernando Fontes / Global Imagens)

No próximo dia 29 de Setembro, em Elvas, realizar-se-á a 2ª corrida de touros da Feira Taurina de São Mateus. É uma corrida de homenagem a Joaquim Bastinhas.

A estátua que perpetuará o seu nome junto do Coliseu de Elvas já ali se encontra e será inaugurada a dia 29 de Setembro.

Porém, esta não é uma corrida de homenagem ao passado. É uma homenagem de presente e acima de tudo de futuro. Joaquim Bastinhas foi um cavaleiro muito à frente do seu tempo. Numa altura sem redes sociais, Bastinhas chegou a toda a sociedade, rompendo e muito as barreiras da tauromaquia.

Joaquim Bastinhas é um nome maior da cultura portuguesa, de toda a cultura portuguesa! Destacou-se na tauromaquia, obviamente, mas foi amado por vários sectores da sociedade. E foi amado porque soube criar uma grande proximidade com todo o povo, um povo que foi conquistando, passo a passo, lide a lide, palavra a palavra, gesto a gesto. Talvez a tauromaquia nunca o tenha colocado no patamar que creio ser-lhe justo. Foi muito mais que um cavaleiro popular. Bastinhas tinha em si uma noção de espectáculo que atualmente o tempo lhe veio dar razão. E se Bastinhas tinha argumentos técnicos! Tinha, teve sempre! Mas soube adicionar outros ingredientes a tudo aquilo que representava ser Bastinhas.

Bastinhas é nome maior de um passado recente e um visionário naquilo fez. Teve mais fãs do que qualquer cavaleiro actualmente com redes sociais. E acreditem, não é exagero. São 29 anos (num total de 33 de idade) a gostar de tauromaquia, são 29 anos em que fruto do gosto do meu avô materno pela figura de Bastinhas, aprendi a gostar de tauromaquia, mas acima de gostar de tauromaquia, gostei sempre muito mais do que aquela figura vibrante, alegre e com o dom de mexer emocionalmente com o público tinha (tem).

Sempre fui um apaixonado, desde que me lembro, pelo mundo do espectáculo. E o espectáculo encaro-o como grandioso. Poderá ser simples, mas obrigatoriamente terá de ser grandioso, exuberante, extraordinariamente impactante. Mas, e isto é importante, numa verdade emocional. Essa verdade emocional existia em Joaquim Bastinhas. Assisti-a, aplaudi-a e vivi-a em muitas corridas.

Posteriormente, surgiu profissionalmente Marcos Bastinhas. Atualmente é o mais aclamado toureiro nas arenas portuguesas por parte do público. Diferente de seu pai, como sempre defendi mesmo quando muitos insistiam em associar sempre tudo o que ele fazia ao que o pai executara. Marcos é um toureiro distinto, de um outro tempo daquele que foi o seu pai. Porém, tem em si também uma verdade emocional que me agrada. Agrada mesmo muito. E tecnicamente pode fazer o que quiser, tem condições naturais para o conseguir, e já o demonstrou várias vezes. Ao ponto de enquanto jornalista eu ser sempre demasiado exigente com as lides dele, em comparação com outros. É um excesso que prefiro ter, porque o triunfo dele torna-se incontestável aos olhos dos puristas.

E, como nota adicional, eu detesto os puristas, seja em que área for. São uma doença maligna que estagna a renovação (diferente de inovação, saliente-se) de qualquer tradição.

No dia 29 de Setembro, a melhor homenagem que todo o sector tauromáquico poderá fazer a Joaquim Bastinhas é esgotar por completo a lotação do Coliseu Comendador Rondão de Almeida (continuo a achar que o coliseu deveria ter o nome de Joaquim Bastinhas, por ser nome maior da cultura nacional, mas isso são outras políticas).

Mas não vão com a ideia de saudosismo ou de homenagear o passado. Joaquim Bastinhas foi sempre futuro e infelizmente hoje já não o temos entre nós fisicamente. Mas a memória essa é intemporal e estou crente de que se possa sempre recordar Joaquim Bastinhas como nome de futuro.

Num mundo amorfo, comodista e tão politicamente correcto, tenhamos a capacidade e humildade de ter um pouco de Bastinhas em nós. Da sua mentalidade de antecipar os tempos futuros.

O cartel dispensa apresentações (cartaz abaixo), mas mais do que a questão da rivalidade, competição e outros factores que habitualmente se destacam numa corrida de touros, o público deve ir com a consciência de que ali prestará homenagem a um dos nomes maiores da arte tauromáquica.

Um nome que agora todos têm oportunidade de homenagear no dia 29! E depois do dia 29, apoiando e valorizando Marcos Bastinhas.

As reservas devem ser feitas através do seguinte número: 911819147

Siga-nos no Google News

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

31,799FãsCurtir
12,697SeguidoresSeguir
438SeguidoresSeguir
288InscritosInscrever