8 toneladas de amêijoa-japonesa apreendidas no Samouco

 

 

O Destacamento de Controlo Costeiro de Lisboa, através dos Subdestacamentos de Controlo Costeiro de Fonte da Telha e Lisboa, hoje, dia 9 de Abril, apreendeu 8 toneladas de bivalves, da espécie ruditapes philippinarum, vulgarmente conhecida como amêijoa-japonesa, com um valor estimado de 81 500 euros, em Samouco.

No decorrer de uma acção de vigilância que visava o combate à prática da apanha desta espécie, os militares detetaram dois homens na posse de oito toneladas de bivalves, armazenados em espaços improvisados sem quaisquer condições higieno-sanitárias, que eram utilizados pelos infratores como depósito para uma posterior expedição dos bivalves. Saliente-se que os espécimes não estavam acompanhados do respetivo documento de registo, sendo que a captura deste tipo de bivalves, sem que os mesmos sejam sujeitos a depuração ou ao controlo higiossanitário, pode colocar em causa a saúde pública, caso sejam introduzidos no consumo, devido à possível contaminação com toxinas.

 

Foram identificados dois homens de 44 e 32 anos, e passados os respetivos autos de contraordenação.

 

Esta apreensão decorre de um conjunto de ações concertadas, desenvolvidas pelo Destacamento de Controlo Costeiro de Lisboa, e que visam o combate à apanha ilícita e posterior comercialização de moluscos e bivalves no Estuário do Rio Tejo.

 

Os bivalves por se encontrarem vivos foram devolvidos ao seu habitat natural.

 

Desde o início do ano que o Destacamento de Controlo Costeiro de Lisboa tem intensificado as ações de fiscalização aos operadores económicos locais que desenvolvem a sua atividade de trabalho na apanha dos moluscos e bivalves. Nos primeiros quatro meses, foram apreendidos e devolvidos ao habitat cerca de 23 toneladas de espécimes de amêijoa-japonesa que, ao serem impedidos de entrar no consumo, representam cerca de 230 mil euros que são subtraídos ao mercado paralelo ilícito da apanha e que financiariam essas mesmas atividades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.