Amadora: Mega operação policial com mais de 112 cidadãos identificados

O Comando Metropolitano de Lisboa, através da Divisão Policial da Amadora, promoveu ontem ao final do dia uma Operação de grande envergadura no Bairro Alto da Cova da Moura (Bairro Alto) e na Quinta da Lage visando a reposição do sentimento de segurança nas comunidades de ambos os aglomerados populacionais do Concelho da Amadora.

Esta operação iniciou-se pelas 19:00 no Bairro Alto e decorreu até às 22:00, com todas as equipas de intervenção rápida da Divisão Policial da Amadora, motociclistas da Esquadra de Trânsito, várias equipas de investigação criminal, inteligência policial e reforço da Unidade Especial de Polícia. Durante este período, foram colocados pontos de controlo em todas as entradas automóveis do Bairro Alto, ao mesmo tempo que se procedia à fiscalização de estabelecimentos no interior deste edificado urbano. Sumariamente foram identificadas cerca de 300 pessoas, perto de 80 viaturas ligeiras, fiscalizados e encerrados dois estabelecimentos que se encontravam a laborar depois das 20:00 e executados 2 mandados de detenção por cumprimento de mandados.

Entre as 00:30 e as 03:00 da madrugada (presente dia) na sequência de uma recolha de informações que apontava para o exercício ilegal de um estabelecimento de restauração e bebidas, transformado em discoteca, na Quinta da Lage, promoveu-se ao seu encerramento. À chegada da PSP foi possível verificar a laborar com DJ o estabelecimento no interior do Bairro, num espaço com cerca de 50 m2 e de onde foram retirados para identificar 112 cidadãos. Destas identificações resultou cumprimento de 1 mandado de detenção para no âmbito de um processo de violência doméstica agravada, 2 cidadãos identificados por posse de estupefaciente, 1 auto de notícia com a apreensão de facas e estupefacientes encontradas no interior do espaço, 1 cidadã (com 16 anos) desaparecida de uma instituição do Barreiro há cerca de 1 mês e 8 cidadãos conduzidos à Esquadra de Investigação Criminal por diligências processuais pendentes.

Estas operações continuarão a ser uma realidade neste território visando contribuir para o sentimento de segurança das populações que pedem à PSP a intervenção nestes Bairros e visam controlar os ajuntamentos durante a realidade pandémica que se vive no País.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.