Bacalhoaria Moderna “é um espaço onde as pessoas podem consumir um bacalhau de qualidade”

 

 

 

Uma extensão da sua sala de jantar? Um espaço tranquilo e com bom ambiente? Atendimento cuidado e comida bem confeccionada? É amante de bacalhau e da tradição? Se procura um local com todos estes requisitos, a Bacalhoaria Moderna irá ser do seu agrado e permitirá uma experiência em que a tradição é servida com um toque contemporâneo e por uma equipa que o fará com simpatia e cuidado, ao encontro dos seus desejos.

Situada em plena Lisboa central (tem o El Corte Inglés, o Marquê de Pombal e Saldanha em seu redor), a Bacalhoaria Moderna fica na Rua de São Sebastião da Pedreira nº150 (secundária e tranquila) e faz o Bacalhau a sua imagem de marca, embora possa também optar por prato de carne ou vegan (duas opções em cada).

A carta foi desenhada pela Chef Ana Moura (sim, o trocadilho com o nome da fadista já foi muitas vezes feito…), que começou o seu percurso no Eleven, aos 23 anos, seguindo-se El Arambol, El Almacen e Arzak (todos eles em Espanha), regressando de novo a Portugal para o Cave 23, no Hotel Torel Palace, em Lisboa. Desde Abril que está na Bacalhoaria Moderna, embora o trabalho esteja a ser desenvolvido com Susana Almeida e Sousa desde o ano passado.

Susana Almeida e Sousa que tem a sua formação na arquitectura e um gosto, desde sempre, pela área da restauração. Em 2014 trocou a arquitectura pela restauração. A Bacalhoaria Moderna foi um projecto cujo planeamento começou no final de 2016.

A experiência na Bacalhoaria Moderna começa assim que entramos no espaço, surpreendidos que somos pela junção de terra e mar na decoração. Ao azul e branco que decora as paredes juntam-se as mesas em madeira, iluminadas por lâmpadas estrategicamente posicionadas e que criam um ambiente acolhedor e intimista. Em duas das paredes da sala situa-se o rei das propostas da carta, o bacalhau, numa obra com assinatura de Bordallo Pinheiro, e que inclusive obrigou a uma encomenda especial por não terem em tanta quantidade como a que foi solicitada pela responsável do restaurante aquando da concepção do espaço.

Entre a contemplação terrena e a aventura marítima, emocionalmente falando sobre as sensações transmitidas pelo espaço, chega o momento de o paladar poder interpretar as várias sugestões e texturas propostas por Ana Moura.

O couvert é apresentado com Manteiga dos Açores, Pão Alentejano, Brandada de Bacalhau e Pastéis de Bacalhau. Lembram-se dos Pastéis da nossa avó, com doses extras de ternura e amor pela arte da cozinha? Aqui é um óptimo spot para recuar a esses tempos!

Nas entradas, estão mais do que aprovadas e sugeridas, destacamos o tártaro de bacalhau (ligeiramente cozinhado por baixo e cru por cima, permitindo uma sensação de quente/frio) servido com vinagreta de mostarda e pickles de cebola roxa (€11) e ainda a língua de bacalhau com gema de ovo (€12).

 

Quem optar por não iniciar a refeição com bacalhau, conta com polvo assado com pickles e abóbora (€13) ou Alcachofras, espargos brancos com romescos (€11) como alternativas.

A carta apresenta seis sugestões com bacalhau. O bacalhau com grão, broa e puré é a tradição com requinte e uma junção equilibrada de aroma e textura. O arroz de bacalhau (€14) deverá ser obrigatoriamente pedido pela explosão aromática, que pode ou não ser potenciada por um picante divinal e que é servido separadamente. O cachaço de bacalhau servido com couves, estragão e tomate (€16) é também uma opção a ter em conta. Poderá ainda optar pelo bacalhau servido com couves de bruxelas, chalotas e caldo de galinha(€16).

 

 

Para sobremesa há três possibilidades. Destas, destacamos duas por terem sido as que pudemos experimentar: Torta de Laranja com moscatel e rum (€6) e/ou Tarte de Queijo e Toffee (€6). Ambas surpreendentes e que despertam forte vontade em repetir, mas com ligeiro destaque para a tarte de queijo e toffee pela textura e sabores apresentados, sendo uma sobremesa leve, sofisticada e que culmina a refeição da melhor maneira.

 

A Chef Ana Moura revelou-nos que esta carta foi preparada inicialmente “definindo-se e separando o que seriam pratos tradicionais e não tradicionais e depois foi misturar alguns pratos tradicionais com outros um bocadinho diferentes”, destacando ainda as duas hipóteses de carne e os dois vegetarianos “inteiramente de origem vegetal, sem qualquer origem animal”. Como consumidora de gastronomia aconselha a visita à Bacalhoaria Moderna pelo facto de “o bacalhau ser dos nossos principais produtos e às vezes não apostamos tanto nele ou na qualidade do bacalhau. E aqui é um espaço onde as pessoas podem consumir um bacalhau de qualidade”. Destacar que o bacalhau aqui servido é originário da Islândia mas conta com cura tradicional portuguesa.

Susana Almeida e Sousa destaca este primeiro mês como “positivo, já com gente repetente que cá veio, voltou e recomendou e as pessoas ficam agradavelmente surpreendidas com o que experimentam”. Um dos maiores desafios foi “acabar a obra. Foi um processo muito difícil a obra, nós já estamos com o espaço desde 2017 e as obras complicam-se sempre”. A escolha da Chef Ana Moura surge por “conhecer o trabalho da Chef na Cave 23, por ser uma Chef jovem, criativa e que por considerar que seria uma boa aliada para juntar a um produto tradicional e típico”.

 

Deixamos ainda a sugestão de dois menus: o executivo (€16) inclui entrada, sopa ou sobremesa, prato, bebida e café e o menu de criança (€10) composto por fish and chips. Há ainda menus de grupo que podem ser consultados contactando a Bacalhoaria Moderna.

A Bacalhoaria Moderna está aberta de terça-feira a sábado, entre as 12:30 e 14:30 e das 19:30 às 22:30. Pode fazer reserva de mesa através do telefone 216053208.

 

 

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: João de Sousa

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6336 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.