Como Proteger As Suas Redes Sociais de Hackers

À medida que cresce a importância das redes sociais, crescem também os números de hacking de contas de “social media”. O fenómeno é bastante simples: o cibercriminoso identifica contas com um certo valor, em termos de número de seguidores e de movimento regular, e tenta identificar qual a password que lhe estará associada. Caso o nível de segurança da password seja fraco, as possibilidades de sucesso são grandes.

Pensa-se normalmente em pessoas relativamente próximas que queiram prejudicar o titular da página, mas há relatos de hacking vindo do estrangeiro e feito por “profissionais”. É o caso da conta de Instagram “A Mãe Imperfeita”, com questões de maternidade como tema, que revelou ter perdido a sua conta oficial para hackers da Turquia, país já anteriormente associado a esta prática. Mais recentemente, deu-se o caso Sónia Brazão.

O Instagram de Sónia Brazão

Em meados de setembro de 2020, a atriz Sónia Brazão divulgou na sua página de Facebook que o seu Instagram oficial havia sido “hackeado”. A atriz escreveu:

“Atenção! O meu Instagram foi roubado por um hacker, agora não tenho como aceder. Quem tiver acesso ao Instagram denuncie a página que era minha” (…)

Até ao momento, não há notícia de que Sónia Brazão tenha conseguido reaver o seu Instagram. Certamente que não é o fim do mundo, mas todo o trabalho desenvolvido e o capital acumulado naquela conta perder-se-ão. Os casos de Sónia Brazão e d’A Mãe Imperfeita provam que estes casos “não acontecem só aos outros”, como é costume dizer-se.

10 medidas para proteger contas de redes sociais

Password forte

Este é o primeiro passo de todos. No mínimo, deverá ter letras e números; idealmente, deverá incluir também caracteres especiais e não ser constituída por nada que seja facilmente associável ao utilizador. Senhas constituídas por sequências simples de números, nomes próprios ou de familiares, e datas de nascimento estão completamente fora de questão.

Mudar a password quando necessário

Mais do que mudar uma senha uma vez por semana, é importante mudá-la quando há indícios de ataque ou situações que recomendem cautela. Se o programa ou serviço em questão enviou um alerta de tentativa de acesso ou se o antivírus detetou malware no computador, é conveniente mudar a senha de imediato, ou pelo menos dos serviços mais importantes ou que se tenham usado recentemente. O mesmo acontece se se tiver partilhado o login com alguém e essa pessoa já não aceder, ou caso se tenha acedido à conta através de uma rede de wi-fi pública.

Investir numa VPN

Uma VPN online é um serviço que cria um canal de privacidade entre o seu computador (ou telemóvel, router doméstico, LAN empresarial, etc.) e o site que pretende alcançar. Este canal ou “escudo protetor” protege as atividades do utilizador contra indiscrição de curiosos e encripta o conteúdo de mensagens e ficheiros trocados (recebidos e enviados). Usar uma VPN torna praticamente impossível a um hacker aceder a dados pessoais, uma vez que só terá acesso a informação cifrada – e indecifrável.

Autenticação em dois passos

Quem tem vindo a adiar os pedidos que o seu serviço de rede social lhe faz para implementar a autenticação em dois passos não deve fazê-lo mais. É muito mais segura.

Esquecer os links curtos!

Ou pelo menos pense duas e três vezes antes de clicar nos “short links”, que são frequentemente utilizados em manobras de phishing. Clique apenas se vierem de pessoas ou fontes que conhece, ou se estiver absolutamente certo que vêm de alguém confiável. O phishing é uma das principais técnicas utilizadas para hacking.

Atenção às aplicações “third-party”

As aplicações terceiras ou de terceiras partes (“third-party”) podem ser muito úteis. Mas quase sempre exigem o acesso a determinados dados das suas contas ou da atividade do seu telemóvel. Tenha sempre especial cuidado; uma aplicação mobile ou uma extensão para o navegador desconhecida podem esconder um ataque de “hacking”.

Use um gestor de passwords

O serviço LastPass permite ao utilizador lembrar-se de uma única password, que funciona como uma espécie de chave-mestra, aliás “password-mestra”. Acedendo à conta no LastPass, o utilizador tem acesso a todas as suas restantes senhas. A utilização deste serviço torna-se especialmente útil e segura se for feita através de uma VPN.

Instale um antivírus

Para detetar malware é conveniente que se tenha, pelo menos, o Windows Defender atualizado (no caso do computador). Os smartphones Android podem ser ainda mais vulneráveis.

Um e-mail diferente para cada conta

Passwords fortes e diferentes são uma boa medida de segurança. Mas já pensou que se usar um e-mail diferente para cada conta de rede social, o hacker terá mais dificuldade em alcançar a totalidade das suas contas?

Mantenha a informação offline

Manter determinada informação ultra-sensível em papel pode ser a melhor opção.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.