Coruche recebe Festival de Balonismo e quer “provar que somos um território dinâmico e com capacidade para acolher visitantes e também investidores” (C/Som)

 

Começou hoje, e prolongar-se-á até dia 3 de Novembro (oficialmente de 1 a 3 de Novembro), o Flutuar- Festival Internacional de Balonismo de Coruche.

Este ano, com novo patrocinador, o festival conta com mais de 30 balões, 33 no total, e como grande destaque apresentou, hoje, o maior balão de ar quente do mundo com capacidade para 34 pessoas, tendo mais de 40 metros de altura.

Além do mega balão, destaque para um com o rosto de Van Gogh, além de outros que são verdadeiras obras de arte e que prometem captar olhares de miúdos e graúdos para o céu coruchense.

Este é um dos vértices do triângulo ao nível de certames que decorre em Coruche, juntando-se , assim, às Jornadas de Gastronomia e à Feira do Livro

As condições meteorológicas não permitiram o voo que estavam previsto, podendo apenas ver-se os balões hasteados. A não realização do voo deveu-se a condições de segurança, algo que é privilegiado pela organização.

A organização promete que de 1 a 3 de Novembro, Coruche terá “gastronomia tradicional, feiras do livro e artesanato, uma exposição de construções com peças Lego, Street Food Fest, animação de rua e street art, insufláveis, uma caminhada, concentração e passeio de viaturas clássicas ou o já esperado espetáculo de luz e música eletrónica Night Glow

Susana Cruz, porta-voz do município devido a ausência do presidente pro motivos profissionais, explicou ao Infocul que a junção dos três eventos é algo que mostra que “são todos eles distintos uns dos outros, mas casam todos muito bem. Porque quem vem ao Balonismo terá, provavelmente, de almoçar ou jantar e tem aqui a Feira Gastronómica. Associámos, também, a Feira do Livro enquanto oferta cultural, que vai já na 31ª edição e portanto casa, também, muito bem com a gastronomia. Aquilo que é a literatura com a gastronomia”.

Explicou ainda o objectivo de “concentrar actividades e criar aqui pontos de interesse para quem nos visita”.

Destaca ainda que o trabalho executivo tem vindo a “ser muito focado na área da cortiça, até por sermos a capital mundial da cortiça, mas associada a todas as vantagens competitivas deste território que tem a ver com turismo, paisagem natural, o montado, o nosso rio e a gastronomia associada ao touro bravo que faz parte da nossa paisagem de charneca. E tentamos ao longo do ano criar um conjunto de eventos e actividades para trazer visitantes a Coruche e também, quem sabe, investidores, que é isso que procuramos. Investidores na parte turística, estamos também com a ampliação do Parque Empresarial do Sorraia e portanto queremos provar que somos um território dinâmico e com capacidade para acolher visitantes e também investidores”.

Sobre a procura do território por parte dos investidores disse-nos que “está a ser interessante, temos tido bastante procura, sobretudo em áreas de actividade distintas. Recentemente foi instalada uma empresa na área da tecnologia, mas temos também depois empresas ligadas ao agro-alimentar, alguns produtos novos como produção de grilos ou de camarão e portanto temos de facto aqui muita procura do nosso novo parque empresarial que está agora em reestruturação e pensamos que para o ano estamos em condições de arrancar em pleno com a implementação de unidades industriais”.

Sobre o território explicou ainda que “uma das grandes vantagens competitivas de Coruche é estarmos a menos de uma hora de Lisboa com acessibilidades boas, embora gostássemos que fossem melhoradas em alguns pontos mas estamos de facto perto da Grande Área Metropolitana de Lisboa, de portos, aeroportos e portanto temos aqui condições de instalação de empresas em várias vertentes. E depois toda uma aposta que temos vindo a fazer no sector turístico, o território tem excelentes condições para actividades turísticas, como é o caso do balonismo e outras actividades ligadas à natureza. A própria vila tem um centro histórico maravilhoso onde estamos a fazer um forte investimento na área das acessibilidades e da mobilidade, para melhorar as condições do centro histórico”.

O orçamento/investimento por parte do município no festival de balonismo, jornadas da gastronomia e feira do livro ronda “os 40/50 mil euros, as três actividades”.

Os voos estão planeados para as 7:00 da manhã em todos os dias do evento, com reforço de um segundo voo às 16:00 na sexta-feira, sábado e domingo. No quiosque da Windpassenger, os visitantes poderão encontrar promoções especiais para voos ou adquirir Gift Cards de oferta para o Natal a preços exclusivos.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6411 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.