COVID-19 na Guarda: “Não temos uma ideia de alarmismo, mas sim de controlo, monitorização e acompanhamento”

Começou ontem, em Fátima, a 8ª edição dos IWRT- Internaational Workshops on Religious Tourism. Prolongar-se-ão até dia 7 de Março e passarão pela Guarda, depois de ontem a Nazaré ter, também, recebido o jantar de gala.

Carlos Chaves Monteiro, presidente da Câmara Municipal da Guarda, conversou com o Infocul.pt no final da cerimónia de abertura, para abordar a importância deste certame.

Os IWRT começam por ser importantes pela “visibilidade e por colocar o turismo religioso na parte que diz respeito à tradição e ao património de cultura judaica, onde a Guarda tem um elemento essencial e que a caracteriza designadamente, desde o século XIII, onde a presença judaica, que mantém ainda hoje nos edifícios aquilo que é a geometria do espaço ocupado pelo bairro judaico é bem visível, e depois associamos também a este aspecto rico da cultura e presença judaica no território, um conjunto de documento muito importantes sobre a forma como se relacionava a comunidade judaica e católica no território”.

Acrescentou que “sabendo hoje da importância que o turismo religioso tem em termos nacionais e internacionais, de facto, este workshop vem no fundo permitir que nos possamos evidenciar e dar conhecimento daquilo que existe no nosso território, como ao mesmo tempo também promover novas acções de organização mas também de promoção turística deste tema no território nacional e para nós é de facto uma montra importante de divulgação daquilo que é a nossa afirmação turística no interior de Portugal e numa zona transfronteiriça, onde acreditamos também que por este eixo e criando aqui sinergias com o município de Ourém , mas também com a ACISO, nós vamos dar um impulso muito maior aquilo que é o desenvolvimento turístico, mas também é o desenvolvimento território, porque turismo é economia, economia é desenvolvimento e desenvolvimento é bem estar das pessoas”.

Sobre o COVID-19, o novo coronavírus que tem deixado em pânico a população mundial, o autarca revelou que na Guarda “já adoptámos um procedimento, em virtude da recomendação da DGS, aprovámos ontem [quarta-feira] esse plano de monitorização e acompanhamento, mas também de precaução de toda a comunidade designadamente a que funciona nos organismos e serviços da câmara municipal da Guarda e tomámos um conjunto de medidas que têm o seu custo, mas são necessárias para precaver qualquer situação que saia fora deste controlo, que até agora, e por isso não temos uma ideia de alarmismo, mas sim de controlo, monitorização e acompanhamento. Nós temos a situação controlada, mas tudo o que diz respeito a viagens para fora da cidade, designadamente de estudantes e operadores turísticos há um corte naquilo que foram as opções tomadas há algum tempo atrás, mas por uma questão de precaução e segurança”.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6702 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.