Tradicionalmente, no mundo empresarial, as poucas horas de sono costumam ser associadas a maior eficácia e mérito de quem o faz. De acordo com a Spring Professional, empresa de Recursos Humanos e recrutamento do Grupo Adecco, alguns gestores de topo e lideres de algumas das maiores empresas orgulham-se de dormirem apenas quatro horas por noite. Basicamente, “o sono é para os fracos” e quanto mais cedo se levantar depois de se deitar, melhor. E se o contrário fosse verdade: quanto mais horas estivesse na cama, melhor seria para a sua carreira?

A questão é o sono, ou melhor, a falta dele. De acordo com a Spring Professional a forma como o sono afecta a concentração, como afecta a capacidade de se desligar nos momentos importantes da sua vida, de forma a não comprometer nem a sua saúde nem o seu trabalho, é essencial para o sucesso. O não dormir afeta o desempenho, também e acima de tudo, no trabalho.

Com esta realidade em mente, hoje já mais entendida pelas empresas, as melhores práticas levam ao desenvolvimento de programas de formação que incluem esta seção, da importância do sono como parte da capacidade de resiliência. Algumas empresas vão mais além e acrescentam opções de aplicativos e cursos online de formação que permitam aos colaboradores aprenderem a dormir melhor. O equilibrio entre manter-se bem fisica e mentalmente ao mesmo tempo em que desenvolve um trabalho árduo e exigente é fundamental.

Embora os efeitos negativos no desempenho do trabalho e na saúde, resultantes de não dormir o suficiente tenham sido bem documentados, há muito menos pesquisas sobre o oposto: os benefícios de mais sono.

Mas certamente quão bem alguém dorme é uma questão pessoal. É realmente apropriado que um empregador se envolva?

O especialista em sono e insónia, Guy Meadows, fundador da consultoria de sono Sleep To Perform, diz que não se trata de forçar as pessoas, mas de lhes fornecer as informações necessárias para que possam “fazer a escolha certa“. Todos temos um número genético diferente de horas de sono que precisamos para dormir, que se situa entre as quatro e as 12 horas. A maioria das pessoas (90%) precisa entre sete e oito horas de sono por noite.

É fundamental dedicarmos-nos a dormir, a descansar, para podermos garantir uma boa continuidade no desempenho profissional e na nossa vida privada.

De acordo com um especialista internacional, Guy Meadows, são quatro as dicas básicas para dormir melhor, agora divulgadas pela Spring Professional:

Reserve um tempo para si durante o dia de trabalho e aproveite para desligar

Defina um alarme para ir para a cama

Pare de assistir a tudo o que sejam equipamentos de imagem (televisão, tablets ou telemóveis) pelo menos 30 minutos antes de se deitar

Não leve o seu telemóvel para o seu quarto. Os leds azuis, vermelhos ou verdes, reduzem a qualidade do sono.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.