Estrangeiro vem a Lisboa e furta jóias no valor de 124 000€

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Investigação Criminal, no dia 21 de Novembro, pelas 17:55, procedeu à detenção de um homem de 58 anos de idade, de nacionalidade extra comunitária, por ser suspeito de ter cometido, pelo menos, um furto qualificado a uma carrinha de transporte personalizado de valores, nomeadamente de ouro e joias.

Assim, no coração de Lisboa, perto da Avenida da Liberdade, o suspeito, que monitorizava atentamente a deslocação de uma dessas carrinhas, veio a aproveitar uma distracção do motorista da mesma que, ao parquear, duvidou trancar a mesma, permitindo que o primeiro, de forma discreta, viesse a aceder ao seu interior, subtraindo do mesmo uma caixa com dezenas de peças de joalharia no valor de mais de 124000€, abandonando o local logo de seguida numa viatura alugada.

De pronto, investigadores da PSP deslocaram-se ao local do crime a fim de coligir elementos de informação e de prova tendentes a chegar ao suspeito e seu paradeiro e, com efeito, recuperar os bens furtados, havendo forte probabilidade destes serem rapidamente escoados no mercado negro nacional ou mesmo além-fronteiras, daí o imperativo de urgência maior.

Na posse de uma série de elementos essenciais de informação foi possível à PSP descortinar o paradeiro do suspeito, vindo a consumar a sua intercepção no fim da tarde, junto ao aeroporto de Lisboa, quando este se aprontava para abandonar o país, facto que adensou as suspeitas de que este se teria deslocado a território nacional com um objetivo bem definido, intuindo-se alguma itinerância a transnacionalidade na actuação criminosa.

Na sua posse não se encontrava o produto do ilícito, no entanto, ulteriores cuidados de investigação revelaram que o mesmo havia expedido três embalagens, via empresas transportadoras internacionais, todas elas com destino a Espanha – Catalunha. Face à eficácia das diligências policiais, foi possível interromper o referido transporte, obviando a que estas chegassem ao seu destino e aí se perdessem, dificultando em muito a sua recuperação. No seu interior foi possível não só recuperar a totalidade dos bens subtraídos, como também uma série de outros objectos cuja proveniência será de deslindar em atos de investigação futuros.

Perante o cenário aventado, e perante a forte indiciação do suspeito na prática do crime, foi o mesmo detido fora de flagrante delito, mediante o cumprimento de mandados de detenção emitidos por Autoridade de Polícia Criminal, acautelando-se a apresentação do detido em Tribunal de Instrução Criminal.

Os investigadores acreditam que o detido já havia cometido outros crimes de igual índole quer em Portugal, quer numa série de outros países da União Europeia, pelo que irá encetar todos os esforços no campo da cooperação internacional, a fim de aferir e confirmar a dimensão da actividade criminosa do suspeito, e sua eventual ligação a redes ou organizações internacionais.

 

 

O suspeito foi presente no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa – Juízo de Instrução de Lisboa, para 1º interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação mais gravosa de Prisão Preventiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.