Este domingo, dia 10 de Julho, Portugal disputa a sua segunda final de um Campeonato da Europa contra a equipa anfitriã da prova, França. Considerada por muitos como menos favorita à vitória final, a esperança será a “última a morrer”.

A selecção portuguesa que disputa este domingo a final do Euro 2016 contra a sua congénere francesa, tem vindo a surpreender tudo e todos com um percurso cada vez mais em crescendo, deixando para trás adversários como a Croácia ou Polónia.

 

 

O Grupo F (onde estavam Portugal, Áustria, Hungria e Islândia) era visto por muitos como acessível para a equipa nacional, mas provou ser um “osso difícil de roer” e criou muitas dificuldades ao grupo orientado por Fernando Santos. Após os três jogos da fase de grupos, Portugal conseguiu a passagem aos oitavos de final no terceiro lugar (em 3 jogos disputados, alcançou 3 empates), usufruindo do alargamento do número de equipas inserido pela UEFA nesta edição da prova.

 

 

Do outro lado, a anfitriã da prova, França, alcançou o apuramento através de uma “caminhada” muito mais calma, conseguindo vitórias sobre a Roménia e Albânia e concedendo um empate no terceiro e último jogo contra a Suíça, sabendo de antemão que já se encontrava apurada para os oitavos de final.

 

 

O que podemos, então, esperar desta final?

 

 

Certamente, um jogo em que duas equipas tentarão ao máximo dar uma alegria aos seus adeptos e levar o troféu para casa. A selecção francesa, equipa que conta com a força e apoio dos seus seguidores, conta também, com jogadores cada vez mais proeminentes no futebol mundial e com capacidade para decidir um jogo em poucos segundos, casos de Payet, Pogba ou Griezmann.

 

 

Na outra metade do campo, irá encontrar uma equipa portuguesa cada vez mais motivada pelos seus recentes resultados e que tem como principais armas a capacidade finalizadora da sua estrela, Cristiano Ronaldo, e a característica coesão defensiva que Fernando Santos consegue incutir aos seus conjuntos. 

 

 

Para além disso, a selecção portuguesa terá em mente a vontade e o crer da sua Nação numa vitória há muito desejada. Depois do desaire de 2004, os jogadores portugueses acreditam que esta final será a oportunidade perfeita para brindar os seus adeptos com um troféu que trará de volta a glória ao futebol nacional.

 

 

Curiosidades a ter em conta:

 

 

– A seleção portuguesa é a equipa que mais rematou durante a competição (um total de 112 remates) e conta com o melhor marcador da história dos Campeonatos da Europa, Cristiano Ronaldo (nos 4 Euros em que actuou, “facturou” por 9 vezes); do outro lado, os “gauleses” são o ataque mais eficaz da prova (média de 2,17 golos/jogo) e têm na sua equipa o melhor marcador da prova (Antoine Griezmann com 6 golos apontados)

 

 

– Portugal irá jogar a sua segunda final do Euro (a primeira foi em 2004) e se alcançar a vitória, contará com o primeiro Campeonato da Europa no seu currículo; ao invés, a equipa francesa tentará chegar à terceira vitória no torneio (após as conquistas de 1984 e 2000)

 

 

– no confronto histórico entre as duas selecções, Portugal conta com 5 vitórias, enquanto que a selecção francesa venceu por 16 ocasiões o seu rival, terminando apenas, um jogo empatado

 

 

É deste modo, que a equipa lusa chega à final do Euro 2016, a disputar este domingo no Stade de France, em Saint Denis.

 

 

Tida por muitos como não-favorita, porque não olhar para o exemplo grego em 2004 onde surpreendeu tudo e todos (e em especial, os portugueses) e acreditar que, realmente, é possível levar de vencida uma equipa que não só conta com o apoio dos seus adeptos, como também, é vista pela maioria como a mais provável vencedora do torneio? Favoritismos à parte, a esperança será mesmo a última a morrer!

 

Fotografia: UEFA.com

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.