FINE- Feira Internacional do Enoturismo realiza-se em Valladolid em 2020

 

 

A Feira de Valladolid apresentou um novo certame, FINE, a Feira Internacional de Enoturismo, a ser realizada nos dias 12 e 13 de Fevereiro de 2020, voltada para vinícolas, territórios e grupos profissionais envolvidos no desenvolvimento do enoturismo.

O CEO da Feria de Valladolid, Alberto Alonso, disse que este projecto foi criado com o objectivo de “ser um lugar de negócios, para promover as relações comerciais entre as regiões vinícolas da Europa e os principais emissores dos mercados internacionais.

Esta forma de turismo que combina cultura, património, vinho, gastronomia e experiências mantém uma linha ascendente clara. De acordo com os dados da Associação Espanhola de Cidades do Vinho, em 2018 as rotas do vinho receberam 3,2 milhões de visitantes, o que gerou um impacto económico de 67 milhões de euros. A maioria desses visitantes, 73,8%, é espanhola.

Em Espanha, existem 28 rotas propagação de regiões autónomas onze: Castilla e Leão tem 7 4 Aragão, Andaluzia e Murcia com 3, dois na Catalunha, Valência, País Basco e La Rioja e da Galiza, Extremadura e Navarra.

As adegas e museus com o maior número de visitantes correspondem às rotas do Vinho e Brandy do Marco de Jerez, com mais de 500.000, e a rota do Vinho e Cava del Penedés com 486.000, respectivamente. A seguir estão a Ribera do Douro, Empordà, Calatayud, Rioja Alta, Rioja Alavesa e Rias Baixas, com mais de 100.000 turistas por ano.

Alberto Alonso ressalta que a criação da FINE obedece “ao desejo de oferecer vinhos, denominações, rotas e em geral a empresas que vendem enoturismo, feira em que é possível administrar contactos e acordos comerciais que permitam continuar crescendo. No nosso ambiente imediato, o turismo de vinhos é um segmento de actividade muito importante, com magníficas perspectivas de desenvolvimento. E queremos ser cúmplices daqueles que trabalham com esse objectivo “.

As características do enoturismo tornam necessário o trabalho conjunto entre empresas privadas e entidades públicas, uma colaboração que também se materializa no FINE, através do envolvimento da Câmara Municipal de Valladolid, do Ministério da Cultura e Turismo da Junta de Castilla e Leão e a Diputación de Valladolid.

A incidência de enoturismo nos territórios onde adegas, museus, restaurantes e alojamento Settle exige, na opinião de especialistas, coordenada pelos sectores público e privado para garantir o sucesso de um sector que combina três pilares fundamentais de performances economia do país : turismo, vinho e gastronomia.

A Agência Francesa de Desenvolvimento do Turismo estimou o número de turistas em dez milhões em 2016, dos quais 42% eram estrangeiros. O impacto económico é estimado em mais de 5.000 milhões de euros. As áreas mais visitadas foram Bordeaux, com 18% do total, Champagne (17,2), Alsácia (16,9), Borgonha (16,2), Loire (13) e Vale do Rhône e Provence com 11, 5 por cento.

Os números da Itália, o segundo produtor mundial de vinho, colocam em torno de 5 milhões por ano o número de turistas estrangeiros em suas 170 rotas. Valpolicella, Toscana, Barolo, Modena, Reggio Emilia … são alguns dos destinos turísticos do vinho no país.

A apresentação oficial do FINE, realizada em 11 de Abril em Valladolid, contou com a presença do prefeito da cidade, Óscar Puente; o ministro da Economia da Junta de Castela e Leão, Pilar del Olmo; o presidente da Diputación de Valladolid, Jesús Julio Carnero; o presidente do Comitê Executivo da Feira de Valladolid, Víctor Caramanzana; bem como os responsáveis ​​pelas denominações de origem, adegas e entidades ligadas ao sector.

A estrutura do FINE será focada na realização de reuniões de negócios em diferentes cenários: uma área de exposição comercial e promocional, espaços de encontro, transferência de conhecimento e áreas para reuniões agendadas e espontâneas.

Vinícolas e territórios de turismo do vinho serão as principais referências de área de exposição bem onde pólos de empresas também podem participar, denominações de origem, MICE (reuniões, incentivos, conferências e exposições), agências de turismo de entrada e de grupos profissionais.

O perfil do visitante a quem o FINE é direccionado afecta a figura dos agentes que comercializam os produtos do enoturismo nos mercados nacional e internacional. Paulo Amorim será o embaixador da FINA, um empresário Português com mais de 30 anos de experiência nos mercados internacionais de vinhos e promoção do vinho em Portugal, foi o criador da Viniportugal, uma organização que promoveu os Vinhos de Portugal marca mundial .

No âmbito nacional será Silvia Martínez, da Feira de Valladolid, que administra a FINE, dada sua experiência no sector turístico, especialmente em produtos de turismo de interiores para o trabalho desenvolvido há mais de dez anos na INTUR.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.