“Futuro Espacial” em estreia no Canal Odisseia

futuro-espacial-1

 

Futuro Espacial” estreia a 03 de Janeiro no canal Odisseia e é baseada nas premonições apocalípticas do cientista inglês Stephen Hawking. Todas as sextas-feiras, sempre às 21:30, esta série documental trás num formato 4K as palavras de uma das mentes científicas mais brilhantes.

 

 

Recentemente, durante uma palestra na Oxford Union Society, Stephen Hawking fez uma premonição dramática ao afirmar que os humanos não irão sobreviver outros mil anos caso continuem na Terra. 

 

 

Tendo como ponto de partida a sobrevivência da humanidade, esta série de seis episódios  aborda os últimos avanços na conquista do espaço, a única escapatória possível para a humanidade, segundo Hawking. 

 

 

“ISS: Beneficios para todos”, “Vida no espaço”, “O Mistério da Vida Extraterrestre”, “O Espaço ao Serviço da Terra”, “Destino Marte” e “Lixo Espacial: Uma Ameaça em Órbita”, compõem os seis episódios desta impressionante série documental que reflecte o progresso das últimas décadas, no sentido de melhor compreender o universo.  

 

 

Como garantir um mundo melhor para as próximas gerações? Construir estações orbitais permanentes e a Estação Espacial Internacional é apenas o inicio de uma viagem interestelar, que recentemente conheceu avanços importantes, tais como, a conquista de novos lugares como a Lua e Marte e o estabelecimento de colónias fixas em breve. Por outro lado, a procura de vida extraterrestre recebeu um novo impulso para descobrir se podemos sobreviver longe da Terra e como. 

 

 

Enquanto contemplamos o nosso planeta azul de longe, tentamos compreendê-lo melhor e salvá-lo da destruição. Contudo, o espaço está cheio de ameaças, desde o lixo espacial criado por nós, até aos mistérios e perigos escondidos no abismo obscuro do Universo. Isto pode ser visto a partir do dia 03 de Janeiro na série documental “Futuro Espacial”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.