GNR coloca Operação “Viajar em segurança” em marcha

A Guarda Nacional Republicana, no período de 26 de Junho a 6 de Setembro, irá intensificar as acções de patrulhamento, fiscalização e apoio aos utentes das vias rodoviárias, com o objectivo de garantir a sua segurança durante os deslocamentos, de e para os locais de veraneio, próprios desta altura do ano.

Tradicionalmente, durante a época estival, as vias rodoviárias do nosso país registam um aumento substancial de tráfego e, concretamente este ano, fruto da pandemia COVID-19, prevê-se um maior fluxo de deslocações de cidadãos nacionais para locais de veraneio no gozo das suas férias, envolvendo dessa forma a deslocação simultânea de milhares de pessoas.

Assim, durante a operação, a GNR irá privilegiar uma actuação preventiva nos principais eixos rodoviários (autoestradas, itinerários principais, itinerários complementares e estradas nacionais), orientando o esforço para as vias mais críticas da sua zona de acção, com o objectivo de combater a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, proporcionando-lhes uma deslocação em segurança.

Nas acções desenvolvidas pela Guarda, no período de 1 de Janeiro a 31 de maio de 2020, foram fiscalizados 556 667 condutores, tendo sido detectadas mais de 177 mil infracções rodoviárias, das quais se destacam 60 464 por excesso de velocidade, 9 755 por falta de inspecção periódica obrigatória, 6 770 por uso indevido de telemóvel, 6 315 por falta ou incorrecta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças.

Foram ainda detetadas 7 271 infrações por condução sob o efeito do álcool e, destas, 3 112 levaram à detenção do condutor por apresentar uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l (crime), havendo ainda a acrescentar a detenção de 1 967 condutores por falta de habilitação legal para conduzir. Este tipo de infracções detectadas contribui, muitas vezes, para o aumento dos índices de sinistralidade rodoviária.

Para a realização da operação, irão ser empenhados os militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito (UNT), numa acção coordenada de patrulhamento e fiscalização rodoviária, em que a fiscalização irá incidir sobre os comportamentos de risco, os quais colocam em causa a segurança rodoviária, nomeadamente:

– Manobras perigosas de ultrapassagem, mudança de direcção, inversão do sentido de marcha, cedência de passagem e posição de marcha;

– Condução sob o efeito do álcool e substâncias psicotrópicas;

– Condução sem habilitação legal;

– Excesso de velocidade;

– Incorreta ou não utilização do cinto de segurança e/ou sistemas de retenção;

– Utilização indevida do telemóvel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.