Henrique Oliveira é a mente por detrás de “Vidago Palace”

Vidago

 

Henrique Oliveira é a mente por detrás de “Vidago Palace”. O realizador é responsável por trabalhos como: “As mulheres de Abril” e “Major Alvega”, grande sucesso da RTP nos anos 90.

                        

 

Na nova série da estação pública, que estreia às 21:00, passa-se durante o verão de 1936. Pelo Vidago Palace Hotel passam diferentes personagens que vão até ao lugar comemorar o casamento de Carlota e César Augusto, só que a jovem filha dos Condes do Vimieiro conhece Pedro e coloca tudo em causa. Fora dos portões do parque do Vidago, no lado da fronteira espanhola, desenrola-se uma guerra civil destruidora que coloca pais contra filhos, irmãos contra irmãos ou amigos contra amigos. É neste contexto histórico que a história do “Vidago Palace” se desenrola.

 

 

É um projecto, um sonho tornado realidade. A série está de acordo com as expectativas criadas. Temos imagens belíssimas, uma grande história, um grande elenco e um belo décor. Temos este hotel. Eu gostava que esta série fosse um marco na ficção nacional“, diz Henrique Oliveira, o realizador de “Vidago Palace”, sobre os pontos fortes desta nova produção, a primeira a ser realizada em parceria com a Tv Galicia.

 

 

Esta produção é uma parceria entre a Hop e a PortoCabo e juntou durante os quase dois meses uma equipa composta por elementos portugueses e espanhóis que se reuniu no Vidago Palace Hotel. Desde o realizador, actores e restante equipa técnica fizeram de tudo para transmitir os sentimentos e o estilo de vida típico nos anos 30 do século passado.

 

 

O guarda-roupa, cabelos, adereços, maquilhagem e o cenário natural foram peças fundamentais na construção da próxima série histórica da RTP.

 

 

 “Aqui há uns anos vim com um grupo de amigos e passamos aqui o fim-de-semana e quando eu vejo este hotel no estado em que está com a possibilidade de filmar uma série destas, é um hotel facilmente adaptável a um décor de época. Eu pensei sempre com essa razão, já com o background das histórias que tinha ouvido falar sobre o Vidago, fiquei entusiasmadíssimo para começar a escrever uma história passada aqui no Vidago que penso ser um dos hotéis mais bonitos do mundo. É fantástico termos um hotel destes em Portugal. Já tinha essas ideias e então comecei a desenvolver o projecto e comecei a pesquisar. A minha grande questão era como se iria desenrolar esta história mas houve ai também uma consideração de factores muito importante. Comecei a pesquisar muita coisa sobre o hotel e descobri que em 1936, no final de Julho, tinha sido inaugurado aqui o campo de golfe. Era um bom ponto de partida para começar uma história“, conta o realizador, que tem ligações familiares na região, sobre como surgiu a ideia para esta série.

 

 

Tudo começou com histórias que o sogro lhe contava e uma visita ao local deixou-o curioso e com vontade de gravar algo de época neste local onde a mais alta burguesia e nobreza se encontravam rodeados de luxo. Já a poucos quilómetros, no outro lado da fronteira, decorria uma sangrenta guerra civil.

 

 

Esta produção conta com financiamento do ICA (Instituto do Cinema e do Audiovisual) e vai ter seis episódios que vão ocupar o horário nobre das noites de quinta-feira da RTP que actualmente, para além da estreia de “Vidago Palace”, tem “Ministério do Tempo” na grelha de programação e estão a preparar várias séries históricas centradas em temas como: “Madre Paula” (baseada no livro escrito por Patrícia Muller e que retrata os amores da Madre do Mosteiro de Odivelas com o Rei D.João V), as eleições de 1985 (estas eleições presidenciais opuseram Mário Soares a Álvaro Cunhal) e uma série sobre Snu Abecanasis, Vera Lagoa e Natalia Correia.

 

 

Este projecto coincidiu com o avanço do ICA, há dois ou três anos atrás, com o apoio ao audiovisual. Antes eles só tinham cinema. No primeiro concurso de audiovisual eu concorri com o Vidago, juntamente com a RTP que já estava interessada no projecto. Ganhamos o concurso e naturalmente a RTP já tinha o seu aval“, conta o realizador como surgiu a parceria com a RTP, local onde foi responsável por inúmeros sucessos na ficção do canal.

 

 

O Vidago Palace Hotel, pertencente ao grupo Unicer, recebeu o elenco e a equipa técnica da Hop e PortoCabo durante os quase dois meses de rodagem desta história que se desenrola no verão de 1936, mas foi gravada durante o outono, e apresenta uma história de amor impossível. Amor, guerra e muitas intrigas vão decorrer neste hotel que serviu como cenário natural para as filmagens.

 

 

Acho que vamos conseguir provar ao mundo que conseguimos fazer uma série com um standart completamente internacional“, diz o realizador. Para além de Portugal e Espanha, a série já foi igualmente vendida para a Itália e Polónia.

 

 

“Vidago Palace” tem um elenco de 36 actores, portugueses e espanhóis, de onde se destacam nomes como Pedro Barroso, Mikaela Lupu, Marco António Del Carlo, Anabela Teixeira, Almeno Gonçalves, João Didelet, Margarida Marinho, Custódia Gallego e Maria Henrique, que vão viver no pequeno ecrã as divertidas irmãs Perliquitetes.

 

 

“Vidago Palace” já estreou na Tv Galicia e poderá ser visto hoje pelas 21:00, RTP 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.