Herman José está feliz com o seu “Bife do Lombo” semanal!

herman-jose04

 

Herman José é um dos mais carismáticos e importantes nomes da cultura nacional. Da música ao entretenimento a sua obra é vastíssima e de uma qualidade inegável. “Cá Por Casa” é o formato que actualmente apresenta na RTP 1. Um projecto semanal, todo ele idealizado por si.

 

 

Como diz o povo, meter “o Rossio na Rua da Betesga”. Ou seja, em mais de 14 horas contínuas de gravação, fabricar uma “renda de bilros” televisiva de uma hora, que pareça um objecto uno, ligeiro, divertido, fluente e leve” começa por nos revelar o humorista sobre os maiores desafios deste projecto.

 

 

“Cá Por Casa” que tem tido uma boa reacção no público. Segundo Herman José, “a melhor, sobretudo na diáspora. Estar na Austrália a fazer espectáculos – como me aconteceu há semanas – para um público que vibra e conhece com o nosso trabalho, é porventura das maiores alegrias que se podem ter”.

 

 

Neste programa semana misturam-se os conceitos de talk-show, de programa de humor e de variedades, num cocktail colorido e que o coloca actualmente como um dos melhores programas de entretenimento da televisão nacional.

 

 

Será que as audiências são do agrado de Herman José? “De maneira nenhuma. Serei sempre um inconformado com o efeito devastado que as novelas / eucaliptos têm na mobilização do público. Se não fosse a RTP e a sua luta pela diversidade, um programa como este não chegaria sequer a ver a luz do dia” diz-nos o apresentador, acrescentando que “o público é soberano, são os meus patrões cujos padrões eu respeito. Longe de mim criticar as suas opções. Continuarei a lutar para alargar o mais que possa a nossa base de espectadores” quando questionado se o público nacional consumia muito “fast food” televisivo.

 

 

Os convidados são escolhidos tendo como factores a “diversidade, qualidade, popularidade, interesse público. O ganho está na variedade. Conforme diz a minha letra do genérico “aqui, cá por casa, há espaço p’ra toda a gente...”

 

 

Este é um formato que incubava na minha cabeça há muito tempo. Parti para ele com muito poucas dúvidas” diz-nos antes de falar sobre a sua companheira de programa: “ter uma actriz como a Maria Rueff a representar os textos que escrevemos é um privilégio. Além de uma grande actriz é uma querida amiga, e uma militante admiradora confessa do meu trabalho. Não imagino melhor “cocktail“.

 

 

Tenho a colaboração de uma equipa de autores para os “sketches” diz-nos antes de revelar “mas para que a coisa fique perfeita, ninguém me livra de dois dias de escrita” quando o questionámos quanto tempo demorava cada programa a ser escrito.

 

 

Ao longo de todos estes anos de carreira, “não tenho quaisquer razões de queixa. Tenho a certeza de que vou ter muitas saudades destes tempos fantásticos que estou a viver agora”, diz-nos sobre o reconhecimento do público.

 

 

Rematou a entrevista classificando o “Cá por Casa” como “Bife do Lombo”.

 

 

“Cá Por Casa” é emitido semanalmente, quarta-feira à noite, na RTP 1.

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6663 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.