História: “Hacking Justice” faz luz sobre a tensão no interior da embaixada equatoriana

image003(2)

 

Desde que foi acusado de violação pelas autoridades suecas, acusação que foi recentemente retirada, Julian Asange, o criador da WikiLeaks, tem estado refugiado na embaixada do Equador, em Londres. “Hacking Justice”, que estreia no canal História no dia 29 de Maio às 22:00, traz um pouco da tensão que se vive no interior da embaixada equatoriana com a utilização de imagens inéditas.

 

 

“Hacking Justice” é um documentário dirigido  pela realizadora Clara López Rubio (especializada na representação da Guerra Civil espanhola em documentários e ficção) e pelo jornalista Juan Pancorbo e mostra a luta do juiz espanhol Baltasar Garzón conjuntamente com uma equipa de advogados para que a Suécia retire o mandato de detenção europeu que pesa sobre o fundador do website Wikileaks.

 

 

A partir de um acesso privilegiado aos seus protagonistas e à embaixada do Equador, Clara López Rubio e Juan Pancorbo (jornalista e guionista para a radiotelevisão internacional da Deutsche Welle) captam a luta do juiz Baltasar Garzón para que a Suécia retire o mandato de detenção contra o fundador da Wikileaks. Garzón e Assange protagonizam o documentário, com imagens inéditas de momentos de tensão no interior da embaixada equatoriana e o sofrimento e desgaste de Assange, preso em 30m2.

 

 

O jurista espanhol lidera a equipa de advogados de Assange desde 2012, mas à medida que os anos passam o caso parece estagnado. Em “Hacking Justice” o público vê como se vai delineando a defensa num caso sem precedentes, que tem que contar com grandes doses de imaginação, conhecimento e valor para abrir um novo caminho.

 

 

Como pano de fundo desta história assistimos à luta pelo controlo da informação, a influência dos serviços de informação, a crença na transparência, a função dos meios de comunicação e o delicado equilíbrio entre direitos individuais e segurança estatal.

 

 

“Hacking Justice” estreia no canal História no dia 29 de Maio às 22:00.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.