Janeiro é pesadelo para os portugueses em termos financeiros

 

 

 

De acordo com o European Consumer Payment Report 2018, estudo da Intrum, 30% dos inquiridos portugueses e europeus acredita que Janeiro é o mês mais complicado do ponto de vista financeiro.

O início do ano é, muitas vezes, uma dor de cabeça para os portugueses – poderão existir despesas do ano anterior ainda por pagar, novas despesas inesperadas, novos projectos e outros gastos que comprometem as economias dos portugueses com compromissos financeiros a cumprir.

Em Portugal, 28% dos homens diz que sente mais dificuldades financeiras durante o mês de Janeiro do que as mulheres (21%), a nível europeu são as mulheres que sentem mais dificuldades financeiras 32% e os homens com 27%.

O relatório demonstra que as faixas etárias dos 50-64 anos e 25-34 são as que sentem mais dificuldades financeiras durante o mês de Janeiro, com percentagens que se situam nos 34% e 32% respectivamente. Seguindo-se a faixa etária dos 25-49 com o valor de 28%. Na Europa, as faixas etárias mais afectadas situam-se nos 25-34 e 35-49 com uma percentagem 31% e 32% respectivamente.

O European Consumer Payment Report deste ano apresenta algumas novidades, referindo que 43% dos portugueses já emprestou dinheiro a alguém para ajudar a pagar uma ou mais contas. Do total mencionado, 17% não espera receber de volta o dinheiro que emprestou. A nível europeu os valores são bastante semelhantes, uma vez que, 40% dos inquiridos refere já ter emprestado dinheiro, sendo que 17% não espera recebê-lo de volta.

Os inquiridos portugueses afirmam ter emprestado dinheiro a amigos (36%), irmãos (25%), filhos (22%), pais (16%), namorado/a (13%) e colegas de trabalho (7%). A nível europeu as percentagens situam-se nos 34%, 24%, 23%, 18%, 15% e 8% respectivamente.

O relatório da Intrum refere ainda que o dinheiro é utilizado, essencialmente, para o pagamento de contas de gás, água e electricidade (21%), rendas (19%), dívidas pendentes (13%) e de cuidados de saúde (médicos e dentistas) (11%).

A nível europeu o pagamento de rendas (19%), gás, água e electricidade (19%), contas de telemóvel (13%) e pagamento de empréstimos (13%) são os motivos mais mencionados.

Para Luís Salvaterra, “Janeiro é um mês de recomeços e é aconselhável que as pessoas façam um planeamento das suas despesas de forma a evitar o endividamento. Pedir dinheiro emprestado a um mutuário ou a um banco tem um significado diferente para as pessoas. Os empréstimos podem ajudar-nos a alcançar os nossos sonhos, mas não devemos pedir dinheiro emprestado para além das nossas capacidades.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.