João Manzarra pede desculpa por comentário racista

João Manzarra pediu desculpa, via Instagram, aos fãs por um comentário racista.

Há uns dias jogava ao STOP com uns amigos (que ganhei, desculpem malta não consigo controlar) quando a determinado momento alguém assinala um comentário meu como sendo ‘um bocado racista’. Possivelmente foi”, começa por escrever.

Geri internamente o reparo e reconheci a coragem do reparo. O conflito não chega a acontecer. Num outro momento do dia acabei por lhe agradecer e reconhecer o mau uso das minhas palavras (não intencionais). Quererá isto dizer que sou racista? Penso que o assumir do erro, a não intencionalidade e a vontade de adaptar o discurso me liberta da acusação”, acrescentou.

Ninguém nasce racista. Os bebés não nascem com preconceito. Aprendem na estrutura social, directa ou indirectamente. (…) É necessária flexibilidade de adaptação a partir de um diálogo racional à boleia da ciência e da educação. Agradeço a todos os que na vida dizem STOP e desafiam a largar o ego, a escutar atentos e a caminhar juntos em direcção a uma melhor convivência”, disse ainda.

View this post on Instagram

Há uns dias jogava ao STOP  com uns amigos (a quem ganhei, desculpem malta não consigo controlar)  quando a determinado momento alguém assinala um comentário meu como sendo "um bocado racista". Possivelmente foi. Geri internamente o reparo e reconheci a coragem de quem o fez. O conflito não chega a acontecer. Num outro momento do dia acabei por lhe agradecer e reconhecer o mau uso das minhas palavras (não intencional). Quererá isto dizer que sou racista?  Penso que o assumir do erro, a não intencionalidade e a vontade de adaptar o discurso me liberta da acusação. As acções e a sua natureza não definirão o todo (assim como uma boa acção não conclui que uma pessoa é  boa). Ao mesmo tempo, este comportamento, não deixa de ser sintomático da presença de racismo na minha sociedade. Ninguém nasce racista. Os bebés não nascem com preconceito. Aprendem a sê-lo, directa ou indirectamente, na estrutura social. Não sendo da natureza, é algo que se forma artificialmente. Sendo algo ensinado, poderá (e deverá) ser desensinado. Seja na escola, em casa, na rua ou a jogar com os amigos.  Num mundo que se transforma cada vez mais rápido, o discurso estanque é um travão perigoso. É necessária flexibilidade de adaptação a partir de um diálogo racional à boleia da ciência e da educação. Agradeço a todos os que na vida dizem STOP e desafiam a largar o ego, a escutar atentos e a caminhar juntos em direcção a uma melhor convivência.

A post shared by João Manzarra (@manzarra) on

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.