Leiria terá um novo crematório e com direito a inauguração

 

 

A Servilusa – Agências Funerárias, inaugura na próxima semana, dia 18 de Março, o seu novo crematório, em Leiria. Este equipamento terá capacidade para até seis cremações por dia, permitindo assim um crescimento significativo relativamente às mais de 4.600 realizadas pela empresa, em 2018, nos seus crematórios.

Oito meses após o início da sua construção, seguidos de dois meses para instalação de equipamento e acabamentos, o novo crematório Servilusa vem criar quatro postos de trabalho novos em Leiria – dois postos directos no novo centro funerário e dois postos de trabalho indirectos.

O crematório de Leiria, que implicou cerca de um milhão de euros de investimento, está concessionado à Servilusa por 20 anos. Fica ao serviço e disponível para os dez municípios da Comunidade Intermunicipal de Leiria: Alvaiázere, Ansião, Batalha, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Marinha Grande, Pedrógão Grande, Pombal e Porto de Mós.

O projecto do novo crematório Servilusa, de autoria do arquitecto António Mota, além de um forno crematório, inclui uma sala de cerimónia religiosa, sala de despedida, recepção, salas técnicas. Tudo num edifício com 370 metros quadrados de área, um jardim da memória com 30 metros quadrados, para depósito de cinzas, e estacionamento, num terreno de 1.200 metros quadrados.

Paulo Carreira, Director Geral de Negócio da Servilusa, revela que “a tecnologia de última geração dos nossos crematórios, com três câmaras de combustão, uma delas apenas para segunda queima de gases, conjuntamente com a chaminé de 10 metros, filtros e procedimentos rigorosos, garantem uma queima limpa e sem emissão de resíduos para o ambiente”. E sublinha que “esta é uma área onde a Servilusa é totalmente autónoma, com competências desde a concepção e especificação, até a instalação e manutenção especializado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.