Lisboa: PSP deteve pedinte violento por cinco roubos

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, através da Divisão de Investigação Criminal, deteve um homem, de 37 anos de idade, pela prática de 5 roubos.

Na passada sexta – feira, 03 de Janeiro, pelas 15:00, foi localizado o ora detido que seria suspeitamente o responsável por uma vaga de assaltos violentos no centro de Lisboa cometidos num passado recente. Este homem, bem conhecido pelas equipas de investigação criminal, havia saído em Março do pretérito ano de mais um período de reclusão, tendo cumprido a totalidade da pena a que foi condenado – 5 anos e 6 meses de prisão – pela prática, de uma série de Roubos, crimes que foram investigados, à data, pela PSP.

Nos finais de Setembro foi sinalizado um pico anormal de roubos no centro de Lisboa, sendo que as características do autor, e a metodologia do assalto, eram, em tudo, condizentes com as do ora detido. O suspeito interpelava as vítimas sob falso peditório, e posteriormente obrigava as mesmas a entregarem todos os seus pertences mediante recurso de ameaças indiferenciadas, sempre com promessas de agressão graves e violentas, chegando mesmo a haver casos em que o mesmo coagiu as vítimas a deslocarem-se a dependências bancárias para levantamentos ilegítimos.

Assim, foram efectuadas inúmeras diligências processuais tendentes a aferir e consolidar indiciariamente as suspeitas aventadas, tendo sido possível associar o detido a 5 (cinco) situações de Roubos violentos praticados desde meados de Outubro até à data. Continuarão a ser envidados esforços no sentido de relacionar o suspeito em outras situações pretéritas que tenham ocorrido, sendo possível que ainda existam cifras negras que possam vir ao de cima permitindo a inteira e plena responsabilização do detido.

O suspeito foi assim detido por via de mandados de Detenção emitidos por Autoridade de Polícia Criminal, tendo sido presente no dia 04 de Janeiro 1º interrogatório de arguido detido, junto do Juízo de Instrução Criminal, para apreciação de toda esta matéria de facto e direito, sendo-lhe aplicada a medida de coacção mais gravosa, a Prisão Preventiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.