Metropolitano de Lisboa anuncia ajuste da oferta e fecho de átrios secundários em algumas estações

Na sequência da declaração de estado de emergência, efectuada pelo Decreto do Presidente da República n.º 14-A/2020, de 18 de Março e com vista a dar cumprimento às medidas definidas no Despacho n.º 3547-A/2020, de 22 de Março do Gabinete do Ministro do Ambiente e da Acção Climática, o Metropolitano de Lisboa implementará, a partir de hoje, dia 23 de Março, alguns ajustamentos adicionais no seu nível de oferta e no funcionamento de alguns serviços, tendo em conta a redução que se tem verificado na procura na sua rede.

O Metropolitano de Lisboa passará, assim, a funcionar, em todas as linhas, em horário de fim de semana, mantendo a circulação com comboios de seis carruagens, circulando, no período noturno, com comboios de três carruagens, procurando contribuir para a redução da propagação da COVID-19, mantendo a oferta adequada às medidas de segurança e à distância entre clientes, continuando a assegurar o transporte de todos os que se encontram a trabalhar e que necessitam de se deslocar em transportes públicos.

No âmbito destes ajustamentos está, também, previsto o encerramento de átrios secundários das seguintes estações:

Linha Azul:

Jardim Zoológico/Átrio Norte/ Pç. Espanha/ Átrio Norte/ S. Sebastião I/ Átrio Sul/ Marquês de Pombal I/ Átrio Sul/ Avenida/ Átrio Sul/ Restauradores/ Átrio Norte

Linha Amarela:

Odivelas/ Átrio Inferior/ Senhor Roubado/ Átrio Sul/ Lumiar/ Átrio Sul/ Quinta das Conchas/ Átrio Norte/ Entre Campos/ Átrio Norte/ Campo Pequeno/ Átrio Sul/ Saldanha I/ Átrio Norte/ Picoas/ Átrio Sul

Linha Verde:

Rossio/ Átrio Norte/ Anjos/ Átrio Norte/ Intendente/ Átrio Norte/ Roma/ Átrio Norte/ Alvalade/ Átrio Sul

O Metropolitano de Lisboa relembra, ainda, que procedeu à abertura dos canais de validação em toda a rede, aumentando a facilidade de deslocação dos seus clientes e uma menor necessidade de apoio e de intervenção dos colaboradores da empresa, com o consequente distanciamento social pretendido no actual enquadramento.

A adopção desta medida permitiu, também, minimizar as necessidades de interacção com os equipamentos, por parte dos colaboradores do Metropolitano de Lisboa, mitigando o risco de contágio e mantendo uma maior reserva de trabalhadores fisicamente aptos, garantindo-lhes algum período profilático, bem como a redução de um conjunto de tarefas que se encontram, actualmente, asseguradas por prestadores de serviços na área da vigilância, da limpeza e da recolha de dinheiro.

O Metropolitano de Lisboa reavaliará os efeitos da implementação desta medida até ao final do corrente mês de Março e continuará a monitorizar e a acompanhar activamente o evoluir desta situação, em função dos níveis de procura e de disponibilidade dos seus colaboradores, adoptando as medidas que, a cada momento, se vierem a considerar necessárias para garantir as melhores condições de saúde e de segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.