Nova temporada de “Tudo à Descarada” estreia no Crime + Investigation

crime-investigation

 

O Crime + Investigation estreia uma nova temporada de “Tudo à Descarada”. Incríveis mentiras, articuladas por pessoas peritas em burlar as seguradoras são o motor para estes novos episódios onde pode acompanhar estes novos casos escandalosos que vão estar nas mãos da equipa de investigadores. Os novos episódios desta incrível série podem ser vistos de segunda a sexta-feira, sempre pelas 20:05. A estreia acontece a 05 de Dezembro.

 

 

“Tudo à Descarada” retrata casos de pessoas que inventam e simulam as mais diversas mentiras e acidentes, numa tentativa de lucrar milhares com as seguradoras, após terem feito a reclamação. Mas muitos são apanhados pelas equipas de investigadores das seguradoras, através das camaras de vigilância.

 

 

Nestes novos episódios, vai perceber que a máxima destes suspeitos em burlas é o “vale tudo”. Vai poder assistir, por exemplo, à história de um aparente doente de cancro que reclama os seus direitos à seguradora, mas que o seu objectivo é o de burlar.  Uma mulher finge ter-se aleijado acidentalmente numa pedra partida de um pavimento e exige que a autarquia lhe dê uma indemnização. O problema foi que as filmagens das câmaras provaram o contrário. Estes são apenas dois exemplos das várias burlas que vai poder assistir ao longo dos episódios.

 

 

No primeiro episódio desta terceira temporada, que estreia no dia 05 de Dezembro, Um defraudador reclama a sua apólice de desemprego enquanto ainda está a trabalhar e as filmagens ocultas apanham-no em flagrante. Uma rusga a um grupo de suspeitos de burla envolvendo seguros de saúde resulta na maior apreensão de joias pelo departamento de fraude. Um veterinário faz milhares de libras com reclamações fraudulentas de seguros de animais de estimação, mas acaba em maus lençóis. E uma companhia de seguros estreita o cerco sobre uma empresa de gestão de sinistros que está envolvida num esquema de burla de 2 milhões de libras.

 

 

No segundo episódio, que pode ser visto a 06 de Dezembro, um ciclista fraudulento inflaciona a sua reclamação para uns espantosos 3 milhões de libras que lhe valerão nove meses atrás das grades. Uma mulher aparenta ser vítima de uma série de assaltos, mas surgem suspeitas e a polícia investiga. Depois de meses de investigação a um gangue suspeito de simular acidentes de viação, a equipa do departamento de fraude conduz uma dupla ofensiva de madrugada. E uma mulher reclama ter sido atropelada por um autocarro, mas as gravações CCTV contam uma história diferente.

 

 

Já na quarta-feira, 07 de Dezembro, um defraudador em série e sem escrúpulos reclama ter cancro e ser vítima de violência doméstica numa tentativa de lucrar milhares com as seguradoras. Os investigadores enfrentam um bloqueio de estrada com cães farejadores durante uma missão de “resgate” para reclamar um carro de luxo alugado e um peão que é atingido por um autocarro urbano tem de “parar, olhar e escutar” antes de apresentar a sua reclamação.

 

 

Um condutor de autocarro vai parar à prisão quando recebe 500 libras por fazer parte de um dos maiores grupos do país dedicado a simular acidentes de viação. Uma rusga de madrugada acaba em impasse. Caça a um suspeito de fraude obriga a um desvio durante perseguição e um presumível burlão introduz uma série de apólices de seguro falsas para um smartphone que não existe. Este caso pode ser visto na quinta-feira, 08 de Dezembro.

 

 

Para finalizar a primeira semana de exibição pode ser vista uma mulher que fere o joelho numa pedra partida do pavimento, espera que a autarquia lhe pague 750 mil libras, mas as câmaras de vigilância provam as suas mentiras e a mulher acaba por ser presa. De pugs a poodles e de bulldogs a São Bernardos, um segurado sem escrúpulos perde os seus caros cachorros com pedigree com uma regularidade surpreendente e uma ofensiva de madrugada do departamento de fraude desvenda uma grande operação de cannabis.

 

 

Gravações de vídeo condenatórias provam que condutor de camião exagerou grosseiramente numa reclamação por danos pessoais, totalizando quase 500 mil libras. Homem fere-se seriamente quando cai de um lance de escadas numa estação de comboio e quer o pagamento de indeminização. Numa dupla ofensiva de madrugada, duas equipas do departamento de fraude avançam sobre dois suspeitos de golpe contra seguros de automóvel. Este episódio pode ser visto na segunda-feira, dia 12 de Dezembro.

 

 

Uma falsa companhia de seguros lucra quase £500.000 por burlar idosos mas depois de duas grandes operações policiais, 14 pessoas acabam atrás das grades. Uma reclamação fraudulenta por danos pessoais, que ascende a quase 1 milhão de libras, é descoberta quando os vídeos de vigilância revelam a chocante verdade, e a rude reclamação de um condutor é desmascarada graças às provas CCTV obtidas a partir de um autocarro urbano. O sétimo episódio pode ser visto na terça-feira, 13 de Dezembro.

 

 

Uma mulher que finge a própria morte para obter uma indemnização de 1 milhão de libras é rapidamente descoberta viva e de boa saúde, mas acha que se mudar o seu nome conseguirá enganar a seguradora e a polícia. Um corretor fantasma que burla condutores adolescentes é finalmente apanhado depois de meses de investigação, e uma rusga do departamento de fraude a um suspeito de simular acidentes de viação revela que ele também tem jeito com plantas. Para ver na quarta-feira, 14 de Dezembro.

 

 

Um caso assombroso mostra como um homem alterou a sua identidade e depois assassinou um amigo de longa data apenas para receber o pagamento da indemnização do seguro. Uma advogada é pouco cuidadosa quando usa a mesma testemunha especialista em dois casos diferentes e na sua primeira grande investigação do ano, os investigadores do departamento de fraude levam a cabo 20 mandatos de busca em simultâneo por todo o Reino Unido numa tentativa de derrubar um suspeito de burla envolvendo seguros de contratação de créditos. Para ver na quinta-feira, 15 de Dezembro.

 

 

A simulação de acidentes de viação é a principal fraude cometida no Reino Unido. A sua forma mais simples consiste em ter um condutor de um carro, que é parte de um gangue, determinado a simular um acidente, fazendo com que alguém lhe bata por trás, já que, se alguém bate por trás, ele é o culpado. O Inspetor James Upton era o líder de uma investigação a um crime horrendo envolvendo automóveis: o primeiro acidente falso que teve consequências fatais. Em Junho de 2011, Baljinder Kaur Gill, 34 anos, estava a caminho de casa por volta das 20:30 quando se viu envolvida num acidente simulado. Um carro travou à frente do outro, na expectativa de que uma carrinha colidisse por trás com um dos seus veículos. Baljinder seguia atrás dessa carrinha e foi apanhada no plano dos vigaristas. Para ver na sexta-feira, 16 de Dezembro.

 

 

Pode seguir estes e outros casos na terceira e quarta temporadas de “Tudo à Descarada”. Aqui a equipa de investigadores de seguros vai sair em perseguição aos suspeitos de algumas das mais surpreendentes burlas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.