Em plena época natalícia, o Odisseia convida os espectadores a entrar nos “Lugares Sagrados” mais emblemáticos do mundo, revelando a história secreta destas construções religiosas, ao longo de quatro documentários para ver nos últimos fins de semana do ano, sábados 22 e 29 de Dezembro e domingos 23 e 30 de Dezembro, sempre às 20:00.

 

 

Lugares Sagrados” é uma Odisseia viagem intemporal às igrejas, templos, mesquitas e sinagogas mais impressionantes, para aproximar o espectador da História da Humanidade, da fé e da genialidade dos construtores.

 

 

A programação arranca com a estreia do documentário “Templos da Ásia: Homens, Natureza e Deuses”, no sábado, dia 22 de Dezembro, uma visita à Índia e ao Japão para conhecer as formas primitivas do hinduísmo e as mais sofisticadas formas do budismo.

 

 

A difusão do Islão efetuou-se de maneira rápida e profunda, e as conquistas dos novos territórios trouxeram consigo a construção de novos lugares de culto: as mesquitas. O Odisseia leva os espectadores de Jerusalém até Córdova, de Istambul até ao Cairo, ou de Deli até Isfahan, a alguns dos mais importantes templos dos grandes governantes muçulmanos, domingo, 23 de Dezembro, no documentário “Mesquitas: Arte e Espaço”.

 

 

A sinagoga de La Ghriba, em Tunes, as sinagogas do Ghetto de Veneza, a sinagoga de Budapeste, e alguns fabulosos exemplos na Península Ibérica, são marcos notáveis do poder do judaísmo, a primeira religião monoteísta da História, que estará em destaque no sábado, 29 de Dezembro, com a estreia de “Sinagogas: Ausência e Presença”.

 

 

A série documental “Lugares Sagrados” termina com o documentário “Igrejas: a Busca da Luz”, um périplo pelos templos cristãos de maior destaque, passando por Jerusalém, Florença, Moscovo, Chartres, Sevilha ou pelo Monte Saint-Michel, para perceber a influência do gótico, das conquistas muçulmanas ou do clímax do Renascimento, domingo, 30 de Dezembro.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.