Olhão: Apreensão de meia tonelada de ostras por falta de rastreabilidade

 

 

A Unidade de Controlo Costeiro, através do Subdestacamento de Controlo Costeiro de Olhão, ontem, dia 2 de Outubro, apreendeu 500 quilos de ostras, num valor estimado de 1 500 euros, em Olhão.

No âmbito de uma acção de vigilância e patrulhamento que visava a preservação de espécies marinhas e a salvaguarda da fauna e flora da Ria Formosa, os militares detectaram um homem que efectuava o transporte dos referidos bivalves, sem se fazer acompanhar dos documentos de registo que permitem comprovar a sua rastreabilidade.

Foi identificado um homem de 67 anos e elaborado o respectivo auto de contra-ordenação por falta dos documentos de registo obrigatórios, cuja coima pode chegar aos 3 740 euros.

As ostras, por ainda se encontrarem vivas, foram devolvidas ao habitat natural.

A GNR relembra que que a ingestão de bivalves contaminados pode causar graves problemas de saúde, daí a importância dos documentos que compravam a sua proveniência. Os moluscos bivalves são organismos que se alimentam por filtração, possuindo a capacidade de acumular nos seus tecidos vários contaminantes, que se forem consumidos, podem provocar diversos tipos de intoxicação. As interdições de captura dos moluscos bivalves, equinodermes, tunicados e gastrópodes marinhos vivos aplicam-se ao público em geral, mariscadores profissionais e amadores, independentemente do processo de captura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.