Operação Last Smoke resultou na apreensão de cerca de 2 milhões de cigarros de contrabando

 

A Unidade de Acção Fiscal, através do Destacamento de Acção Fiscal de Lisboa, entre os dias 12 e 18 de Junho, desencadeou, na zona de Lisboa e Setúbal, uma operação que resultou na detenção de oito homens, com idades compreendidas entre os 33 e os 67 anos, de nacionalidades portuguesa e espanhola.

No âmbito da actividade dirigida ao combate ao contrabando de tabaco, a referida operação de investigação criminal visou desmantelar uma rede criminosa internacional que, de forma dissimulada e fraudulenta, se dedicava à introdução de produtos de tabaco em território nacional, que depois distribuía para comercialização ilícita nos distritos de Lisboa e Setúbal.

Assim, foram executadas 29 buscas, das quais 9 domiciliárias e outras 20 não domiciliárias, a armazéns e veículos, resultando na apreensão do seguinte material:

– 339 300 Cigarros de várias marcas;

– 49 kg de Folha de tabaco;

– 33 865 Euros em numerário;

– 3704 Doses de Haxixe;

– 11 Veículos;

– 1 Pistola Eléctrica (Taser);

– 1 Pistola, calibre 6,35mm;

– 1 Arma de arremesso;

– Diversos artigos utilizados para triturar, acondicionar e embalar a folha de tabaco.

Importa ainda referir que a presente operação foi desencadeada no âmbito de uma investigação que já decorria há cerca de um ano, e ao longo da qual foram detidos um total de 13 suspeitos, apreendidos cerca de 1690 quilos de folha tabaco (que dariam para produzir na ordem de 1 milhão e 690 mil cigarros) e 538 mil cigarros manufacturados que, se tivessem sido introduzidos no consumo, se traduziriam numa vantagem patrimonial ilegítima de cerca de 471 mil euros.

Os detidos foram indiciados da prática dos crimes de contrabando qualificado, introdução fraudulenta no consumo qualificada, associação criminosa, fraude fiscal, posse de arma proibida e tráfico de estupefacientes.

Cabe realçar que um dos detidos foi conduzido, de imediato, ao Estabelecimento Prisional de Lisboa, por sobre o mesmo recair um mandado de detenção, para cumprimento de pena de prisão de 7 anos e 6 meses.

Nesta operação, foram empenhados 50 militares da Unidade de Acção Fiscal, tendo contado com a colaboração do Comando Territorial de Setúbal e da Unidade de Intervenção, bem como da Polícia de Segurança Pública.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.