Paços de Ferreira e Lousada: Três detidos por violência doméstica

O Comando Territorial do Porto, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas de Penafiel, nos dias 21, 23 e 24 de Janeiro, deteve três homens com idades compreendidas entre os 39 e os 67 anos, pelo crime de violência doméstica, no distrito do Porto.

No âmbito de uma investigação por violência doméstica em que os militares apuraram que o homem de 39 anos perseguia e emboscava a vítima, juntamente com mensagens com teor intimidatório e difamatório, com o intuito de obrigar a reatar a relação, no dia 21 de janeiro, os militares deram cumprimento de mandado de detenção, que culminou na detenção do suspeito.

O detido foi presente a 1.º Interrogatório Judicial no Tribunal Judicial de Marco de Canaveses no dia seguinte, onde lhe foi aplicada a medida de coação de proibição de contactos, por qualquer forma ou meio, com a vítima.

Na sequência de uma outra investigação no mesmo âmbito, em Paços de Ferreira, os militares apuraram que um agressor mantinha um relacionamento extra conjugal com a vítima de 57 anos, sendo que no mês de novembro de 2019, a vítima decidiu terminar o relacionamento, o que motivou as perseguições e ameaças de morte por parte do suspeito.

Na sequência de diligências policiais, foi dado cumprimento a um mandado de detenção, que culminou com a presença do agressor, no dia 24 de Janeiro, no Tribunal Judicial de Marco de Canaveses, o que resultou na aplicação da medida de coação de proibição de contactos por qualquer forma ou meio com a vítima.

Ainda em Paços de Ferreira, no dia 24 de Janeiro, na sequência de diversas diligências de investigação, foi possível apurar que um homem de 36 anos agredia fisicamente a companheira, de 31 anos, na presença dos 2 filhos do casal, com 15 e 7 anos de idade.

Assim, foi dado cumprimento um mandado de detenção, que culminou com a detenção do agressor, sendo presente ontem, dia 24 de Janeiro, ao Tribunal Judicial de Marcos de Canaveses, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.