Direito de Resposta: Comandante da Associação Portuguesa de Busca e Salvamento

O Infocul publica o direito de resposta do Comandante da Associação Portuguesa de Busca e Salvamento, relativamente à notícia, que aqui demos conta sobre uma idosa desaparecida em Penafiel.

O Direito de Resposta na íntegra:

“No estrito respeito do descrito no Decreto de Lei 2/99, de 13 de Janeiro, artigo 24º, ponto 1, vimos por este meio apelar à reposição e retificação da verdade relativa aos factos narrados no vosso órgão de comunicação social.

Sendo assim, é errada a informação que foi a Guarda Nacional Republicana que procedeu ás operações de busca e salvamento relativas ao desaparecimento de uma idosa de 87 anos portadora de alzheimer, na cidade de Penafiel.

Na realidade o desaparecimento foi-nos reportado por email por um familiar, e a posterior solicitada ajuda via telefone, pelos mesmos.

 Após análise cuidada pelos elementos de comando desta Associação e tendo em conta alguns fatores como, a idade, a condição física e mental, e a ausência de qualquer ação de busca ou inclusive presença de qualquer autoridade no local, foi decidido o acionamento dos nossos meios e operacionais.

Cerca das 2:30h da manhã do dia 28 de Setembro deslocaram-se para o local 12 operacionais para buscas apeadas e 5 binómios para buscas cinotécnicas, para que rapidamente se localizasse a vítima em questão.

Após vários cães (nossos) demonstrarem interesse na zona referida como “Queijaria e Vacaria da Quinta da Aveleda”, foi decidido, aguardar pelo início da laboração da mesma a fim de requisitar acesso ao local visto faltar pouco tempo para a abertura e tratar-se de propriedade privada.

Enquanto aguardávamos, decorriam buscas pelos nossos operacionais, noutras potenciais áreas, tendo logo de seguida recebido a informação por parte dos familiares que a idosa teria sido descoberta (no local já referenciado pelos nossos binómios) pelos trabalhadores da Queijaria.

Apenas nesse momento é que foi acionada a Guarda Nacional Republicana, pelos mesmos trabalhadores, a fim de identificar a idosa. Posteriormente foram acionados os bombeiros para o transporte da mesma para a unidade hospitalar.

Poderão constatar que a Guarda Nacional Republicana apenas se deslocou para o local, visto os trabalhadores da dita “Queijaria e Vacaria da Quinta da Aveleda” a terem encontrado, nunca terem feito qualquer diligencia de busca e salvamento até aquela hora, tendo apenas registado o desaparecimento perante os familiares. 

Poderão confirmar todos estes factos com os familiares da vítima e os trabalhadores de dita “Queijaria e Vacaria da Quinta da Aveleda”. 

Parece-nos muito depreciativo para os operacionais desta Associação não ser reposta a verdade, visto terem sido eles que deixaram a família para efetuar as operações de busca e salvamento da vítima em questão.

Aguardamos a reposição e retificação da verdade de modo a salvaguardar o prestígio e a competência operacional da APBS junto das populações e da Autoridade Nacional Emergência e Proteção Civil”.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.