CDS Lisboa propõe solução definitiva para a Quinta do Ferro

Na Assembleia Municipal a realizar amanhã, os deputados municipais do CDS apresentarão uma recomendação para que a “Câmara Municipal de Lisboa inicie, urgentemente, a delimitação da Quinta do Ferro como ARU (Área de Reabilitação Urbana)”, refere Diogo Moura em comunicado.

 

Explica que “a Quinta do Ferro, situada na freguesia de São Vicente, aguarda há mais de uma década pelo cumprimento das promessas da CML. O CDS tem vindo a propor a regularização urbanística do bairro, maioritariamente propriedade do município”.

 

 

 

Diogo Moura, líder da bancada municipal do CDS, refere que “os moradores da Quinta do Ferro estão fartos de promessas do executivo camarário, que tem votado este bairro à manutenção de condições indignas em pleno século XXI. Há famílias a viver em escombros, casas inacabadas ou ardidas, sem saneamento básico e água potável. No coração de Lisboa, a Câmara mantém escondida a realidade de centenas de pessoas, continuando a protelar uma solução definitiva que traga o mínimo de habitabilidade, conforto e dignidade”.

 

 

 

No mesmo comunicado é ainda relembrado que “desde 2008 que o CDS tem vindo a apresentar, na Assembleia Municipal, recomendações a pedir a regularização cadastral e a regeneração urbanística, em particular quando a competência do Município no que respeita ao planeamento é redobrada pelo facto de ser proprietária de metade dos terrenos”.

 

 

 

Diogo Moura refere que “Fernando Medina vende uma cidade moderna, cosmopolita e que defende os munícipes, mas a verdade é que aqueles que vivem em condições inaceitáveis, escondidos aos olhos da maioria dos lisboetas e dos turistas, são completamente esquecidos. Importa que a Câmara assuma as suas responsabilidades e actue. Por isso, o CDS propõe a delimitação de ARU com a correspondente Operação de Reabilitação Urbana (ORU)”.

 

 

É ainda mostrado um vídeo, o qual reproduzimos de seguida:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.