Portugueses afirmam ser mais extrovertidos quando se relacionam online

Com as limitações sociais impostas no contexto atual, as pessoas estão a recorrer cada vez mais aos benefícios da tecnologia para conhecerem novas pessoas. Desde aplicações de encontros a redes sociais e fóruns, milhões de pessoas fazem regularmente novos amigos online. Inclusive, de acordo com o recente estudo da Kaspersky, 30,4% dos portugueses revelam que são mais extrovertidos e confiantes no mundo digital do que quando se relacionam com alguém na vida real.

Com a adoção de medidas de distanciamento social a nível global, as pessoas habituaram-se cada vez mais a relacionarem-se com os seus amigos e familiares e a estabelecer novas relações através de plataformas online. Em Portugal, segundo a recente investigação da Kaspersky, 26% dos inquiridos que utilizam redes sociais ou fóruns online afirmaram mesmo que se torna mais fácil conhecer novos amigos online do que pessoalmente.
Quando inquiridos sobre a sua relação com o outro no mundo digital face ao mundo real, cerca de um terço dos portugueses (30,4%) considera ser mais extrovertido e confiante no mundo digital do que quando estão na presença de outras pessoas. Inclusive, para 33% dos portugueses chega a ser mais fácil apresentarem-se online.
Mas o online também apresenta grandes desafios. O aumento das relações virtuais tem feito com que muitas pessoas se sintam ainda mais isoladas e sós, uma vez que não estão necessariamente preocupadas em marcar encontros cara-a-cara com outras pessoas. No entanto, para alguns portugueses (14%), a ligação emocional que têm com os amigos no mundo online é mais forte do que com aqueles com quem se relacionam pessoalmente.

Perante os dados apresentados no estudo, a psicóloga Ana Rita Salazar comenta: “Embora possa parecer um paradoxo, a verdade é que o digital continua a permitir aproximar pessoas fisicamente distantes, mas também pode gerar distanciamento – e, em casos mais extremos, pode levar ao isolamento social. Apesar da Internet e das tecnologias terem sido um suporte fundamental na altura do confinamento, não nos podemos esquecer que os contactos afetivos e sociais são muito importantes para o desenvolvimento social e para quebrar a solidão – nos mais velhos, mas também nos mais novos”.

Para mais informações sobre os resultados da última investigação da Kaspersky, consulte o relatório Find Your Tribe.
Como a tecnologia tem sido vital para a ajudar as pessoas que se sentem sozinhas, a Kaspersky está a tomar medidas para ajudá-las a permanecerem seguras online, especialmente durante a pandemia. Neste âmbito, várias informações, incluindo guias sobre proteção de smartphones e segurança da sua vida digital, estão disponíveis no blogue da empresa.

 

A Arlington Research, agência independente de estudos de mercado, realizou estudos de mercado em nome da Kaspersky em 12 países europeus e no Japão. Os países inquiridos incluem o Reino Unido (2.000 inquiridos), França (1.000), Alemanha (1.000), Itália (1.000), Espanha (1.000), Holanda (1.000), Bélgica (500), Portugal (500), República Checa (500), Áustria (500), Hungria (500), Roménia (500) e Japão (500).
A investigação é representativa, a nível nacional, de adultos com mais de 18 anos de idade em cada país inquirido, no que diz respeito ao sexo, idade e região (cerca de 2%). A investigação foi realizada de acordo com as orientações do estudo de mercado ESOMAR. Os dados utilizados neste comunicado de imprensa baseiam-se em dados europeus provenientes de uma base de participantes não ponderada de 10.000 inquiridos. Os dados do Reino Unido, no conjunto total de dados europeus, foram reduzidos – ponderados de 2.000 para 1.000 inquiridos, de modo a que os dados deste país sejam equivalentes aos principais mercados da União Europeia por PIB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.