Prótoiro acusa Graça Fonseca de “usar o Estado como ferramenta de discriminação de uma actividade cultural”

 

 

 

A Prótoiro reagiu, em comunicado, às mais recentes declarações da Ministra da Cultura Graça Fonseca, hoje no Parlamento.

 

 

Depois de incivilizados, agora chama retrógrados a quem gosta da Cultura Tauromáquica. PróToiro constata que Graça Fonseca não reúne condições para continuar no Governo e apela a intervenção de António Costa”, refere o comunicado, acrescentando que “a ainda ministra da Cultura muda de insulto, mas mantém a discriminação e o ataque à Cultura Tauromáquica. A PróToiro – Federação Portuguesa de Tauromaquia constatou, durante a audição de Graça Fonseca no Parlamento, no âmbito da discussão do OE’2019, a inaptidão da governante para o exercício de funções em cargos públicos”.

 

 

 

Após as polémicas declarações de há uma semana, a PróToiro esperava que Graça Fonseca se retratasse e adoptasse uma postura mais condicente com o cargo que ainda ocupa. Porém, o que a PróToiro verificou na casa da democracia foi precisamente o contrário” diz o comunicado.

 

 

No Parlamento, Graça Fonseca disse “Quando nós falamos de civilização falamos em valores civilizacionais. Não é uma questão de gosto, é uma questão de valores que partilhamos ou não. As civilizações, como temos verificado, ao longo da História têm evoluído“.

 

 

Deixa de nos chamar incivilizados, para agora dizer que somos retrógrados, que não evoluímos de acordo com os seus padrões de civilização. Esta postura só demonstra que Graça Fonseca não consegue entender o papel de um ministro num País democrático, onde o Estado não pode impor discriminações de base ideológica. A ministra revela ser incapaz de ser e manter um olhar equidistante sobre a Cultura Portuguesa, em particular sobre a tauromaquia“, acusa Hélder Milheiro, secretário-geral da PróToiro.

 

 

A PróToiro não pode deixar de lamentar ainda a justificação de Graça Fonseca para excluir os espetáculos tauromáquicos da descida do IVA para 6 por cento”, refere o comunicado.

 

 

O Governo PSD-CDS quis subir o IVA da Cultura, incluindo o da tauromaquia, para 23%, e foi aqui no Parlamento que se conseguiu que isso não acontecesse“, disse ainda Graça Fonseca.

 

 

A Prótoiro responde, “dizer que a proposta agora apresentada é melhor do que a situação anterior é puro ilusionismo. O contexto da proposta do governo PSD/CDS é substancialmente diferente do actual. Porém, não era discriminatória. Tratava todas as actividades culturais. O que Graça Fonseca está a fazer é usar o Estado como ferramenta de discriminação de uma actividade cultural, assim classificada pelo próprio Estado. A ministra não respeita a liberdade dos cidadãos, nem a Constituição que jurou defender. Perante tamanho atropelo legal e democrático o Primeiro-Ministro António Costa tem de tomar uma posição pública clara e demitir esta ministra“, acrescenta Hélder Milheiro.

 

 

Perante a ausência de esclarecimentos, perante o ataque continuado à Cultura, perante toda a falta de sentido de Estado de Graça Fonseca, a PróToiro reitera o pedido de demissão e garante que tudo fará, inclusive recorrendo à Justiça, se necessário, para repor a legalidade e defender a cultura portuguesa e a liberdade dos portugueses”, remata o comunicado.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Notícia publicada a 06/11/2018

Tagged with:     , ,

About the author /


Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

_