Reguengos de Monsaraz recebe a Conferência Mundial de Enoturismo em 2020

 

 

A 5.ª Conferência Mundial de Enoturismo vai decorrer no outono de 2020 em Reguengos de Monsaraz. Este evento promovido pela Organização Mundial de Turismo reúne especialistas para analisar o sector do Enoturismo a nível mundial, debater as suas problemáticas e apontar estratégias para o desenvolvimento do turismo de vinhos.

 

 

 

A Moldávia acolhe na próxima semana a 3.ª Conferência Mundial de Enoturismo e a quarta edição vai realizar-se em 2019 no Chile. Reguengos de Monsaraz recebeu no passado dia 23 de Janeiro a primeira visita oficial do Secretário Geral da Organização Mundial do Turismo, Zurab Pololikashvili, poucas semanas após a sua tomada de posse nesta agência especializada das Nações Unidas que é a principal entidade internacional na área do turismo.

 

 

 

A Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, considera que “esta é mais uma conquista que vai ajudar a promover e posicionar Portugal internacionalmente como destino imperdível de Enoturismo. Resultou da visita do Secretário-Geral da OMT a Portugal este ano e traduz o reconhecimento da forma como Portugal é hoje visto como um case study internacional no turismo. Agradeço a todos os que connosco trabalharam para garantir que o Alentejo vai ser palco deste importante evento e que connosco vão trabalhar para fazer desta ocasião um momento inesquecível para a afirmação de Portugal”.

 

 

 

José Calixto, Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, refere que “é uma honra para Reguengos de Monsaraz, território que assume centralidade no panorama vitivinícola português, ter a confiança do Governo de Portugal e da Organização Mundial de Turismo para assumir a liderança da organização da quinta edição da Conferência Mundial de Enoturismo, a realizar no outono de 2020”. O autarca sublinha que “este evento de dimensão mundial representará o culminar de uma fase de ouro da promoção do território de Reguengos de Monsaraz no Mundo, a qual se iniciou com a proclamação pela RECEVIN – Rede Europeia de Cidades do Vinho do nosso território como Cidade Europeia do Vinho 2015. Cinco anos depois assumiremos a organização do maior evento que se realiza no Mundo sobre Enoturismo”.

 

 

 

O concelho de Reguengos de Monsaraz tem actualmente cerca de quatro mil hectares de vinhas e integra 10 produtores de vinho, nomeadamente a CARMIM, Esporão, Casa de Sabicos, Ervideira, Monte dos Perdigões, Adega José de Sousa, Luis Duarte Vinhos, Adega do Calisto, Monte das Serras e São Lourenço do Barrocal, que em conjunto produzem anualmente mais de 25 milhões de litros de vinho. Os enoturismos do Esporão e da Ervideira recebem cerca de 50 mil visitantes por ano.

 

 

 

Reguengos de Monsaraz foi a Cidade Europeia do Vinho em 2015, uma distinção atribuída pela RECEVIN – Rede Europeia das Cidades do Vinho que fomentou a realização de mais de 150 iniciativas promocionais em Portugal e no estrangeiro. No ano seguinte, a autarquia registou a marca Reguengos de Monsaraz – Capital dos Vinhos de Portugal e está a desenvolver uma campanha internacional de promoção que já teve acções de divulgação em feiras e congressos internacionais de turismo na China, Brasil, França, Polónia, Espanha e Alemanha.

 

 

 

O turismo está a crescer no concelho e no ano passado a autarquia registou cerca de 100 mil turistas, representando um acréscimo de 12,4 por cento comparativamente com 2016. Quem visita o concelho pode conhecer a vila medieval de Monsaraz, o Centro Oleiro de S. Pedro do Corval, considerado o maior do país com 22 olarias em actividade, os produtores de vinho e os seus enoturismos, os principais monumentos megalíticos como o Cromeleque do Xerez e o Menir do Outeiro, o Observatório do Lago Alqueva e a Fábrica Alentejana de Lanifícios que produz há mais de um século as tradicionais mantas.

 

 

 

Reguengos de Monsaraz assume desde 2016 a presidência da RECEVIN e este segundo mandato termina em 2020. A Recevin é uma rede formada pelas associações de vinho nacional dos 11 países membros (Alemanha, Áustria, Bulgária, Eslovénia, Espanha, França, Grécia, Hungria, Itália, Portugal e Sérvia) e integra cerca de 600 cidades europeias.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.