Samuel Úria sobre o Festival da Canção: ” As canções dos anos 80 ainda são cantadas hoje em talent shows e coisas do género”

31857374313_1ec58517a5_k

 

Samuel Úria é o compositor responsável pelo tema “Para Perto” que será interpretado pelas Golden Slumbers. Esta canção será a segunda canção a ser escutada na primeira semifinal do Festival da Canção que acontece no dia 19 de Fevereiro.

 

 

Apesar de eu respeitar o Festival não estava nos meus planos ou pelo menos auto propor-me para vir fazer uma canção para vir fazer uma canção mas logo na medida que estavam a abrir espaço a pessoas como eu que não têm propriamente uma carreira super popular ou que não fazem música para as massas também não me custou nada a aceitar“, diz Samuel Úria sobre o convite que recebeu da RTP para ser um dos 16 compositores presentes na edição de 2017 do Festival da Canção e que vão disputar um lugar na grande final do evento que acontece no dia 06 de Março no Coliseu dos Recreios, uma das principais salas de espectáculos de Lisboa.

 

 

Tem o seu peso histórico embora tenha desvanecido um bocado esse peso preponderante de quem vai ao Festival e depois tem uma carreira“, conta o cantor sobre a importância de participar no Festival da Canção que vai na sua edição número 51. 

 

 

Ao longo dos anos inúmeros foram os cantores e os compositores que participaram neste que é o maior evento da música portuguesa e que no passado parava o país na altura das actuações.

 

 

Isso já não acontece. Acontecia quando eu estava a crescer, quando eu era miúdo e era quase uma instituição familiar. As pessoas juntavam-se quando o Festival da Canção ressoava, aliás, ressoa até hoje. As canções dos anos 80 ainda são cantadas hoje em talent shows e coisas do género mas apesar de se calhar ter perdido esse peso não deixa de ser um marco. Lá está, um marco histórico, quase uma efeméride da própria RTP“, diz Samuel Úria sobre a importância do Festival da Canção. 

 

 

O cantor e compositor que delicia todos com o seu humor castiço e os ritmos blues relembra a actuação de Lúcia Moniz. “É curioso porque uma das minhas canções preferidas do festival vem de uma altura que já era adolescente e já não achava piada porque o festival tinha de alguma maneira se banalizado. Gosto muito da canção da Lúcia Moniz de 1996, O Meu Coração Não Tem Cor“, conta Samuel Úria.

 

 

Este ano a final do Festival da Canção vai assinalar as comemorações dos 60 anos de emissões regulares da RTP e a organização do evento depois de um hiato de um ano. A última vencedora foi Leonor Andrade que em 2015 foi a representante portuguesa na Eurovisão em Viena, na Áustria.

 

 

Para a edição deste ano do Festival da Canção foram convidados 16 compositores que iram apresentar os seus temas em duas semifinais, cada uma composta por 8 interpretações dos mais variados géneros musicais.

 

 

Como o convite foi feito a autores acho que houve uma preocupação de quem convidou para que as pessoas levassem material que fosse característicos delas e nesse sentido as pessoas podem esperar uma canção que não está a ser planeada para o formato especificamente mas que brota com a naturalidade que as canções também me brotam e nesse sentido acho que vou ser pelo menos sincero“, conta Samuel Úria sobre o que os portugueses podem esperar do seu tema que vai ser interpretado pelas Golden Slumbers, um duo de folk português composto pelas irmãs Catarina e Margarida Falcão.

 

 

A escolha acabou por ser bastante simples. As Golden Slumbers tinham feito uma versão de uma canção minha na Antena 3 e nós apesar de não nos conhecermos pessoalmente eu senti que isso ajudou que travássemos contacto e foi logo dos primeiros contactos e de uma maneira até muito uníssona surgiu o tema festival da canção“, diz o cantor sobre a escolha das duas irmãs para interpretar este tema no Festival da Canção. 

 

 

A interpretação da dupla e o folk que as caracteriza assenta perfeitamente na canção de Samuel Úria que para além de ser bastante trauteável e que apela à esperança num mundo melhor.

 

 

 

Para além do Festival da Canção, o músico natural de Tondela lançou em 2016 o aclamado álbum “Carga de Ombro” e durante 2017 poderemos encontra-lo na estrada. “Eu lancei um disco no ano passado e ainda vou toca-lo este ano. Acho que ainda não se esgotou mas também tenho andado a pensar em escrever canções novas para um disco que sairá provavelmente para o próximo ano. Este ano ainda vou andar a rodar o disco porque ainda há sítios para ir com ele“, diz Samuel Úria sobre os seus projectos para 2017.

 

 

O músico é considerado um dos melhores escritores de canções da actualidade. O tema “Para Perto” pode ser ouvido no dia 19 de Fevereiro no Festival da Canção que será emitido em directo na RTP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.