Turismo do Porto e Norte de Portugal é o destino convidado da BTL 2020

A Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal apresentou hoje, na ViniPortugal em Lisboa, os destaques para a BTL 2020, na qual assume protagonismo como destino convidado.

Os quatro sub-destinos da região do Porto e Norte – Douro, Minho, Porto e Trás-os-Montes – estarão em destaque na 32ª edição da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa, de 11 a 15 de Março de 2020.

Aproveitando o estatuto de destino nacional convidado, a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) promoverá no mesmo espaço aqueles quatro sub-destinos, que terão assim visibilidade reforçada durante o evento.

A região do Porto e Norte estará presente na BTL 2020 com um stand de 1296 metros quadrados, contemporâneo, atractivo e com elevado impacto a nível visual e estrutural, estrategicamente instalado no Pavilhão 1 – principal acesso à feira”.

Congregando a oferta turística de 86 municípios, a TPNP abrange um diversificado e vasto leque de recursos naturais e patrimoniais, produtos únicos e marcas de grande qualidade, distribuídos pelos sub-destinos Douro, Minho, Porto e Trás-os-Montes.

Para Luís Pedro Martins “o convite da BTL ao Porto e Norte para ser destino nacional em destaque na sua edição de 2020 é o culminar de um excelente ano para esta região em termos de crescimento nos indicadores que medem o crescimento do turismo e mais um factor de motivação para todos os stakeholders públicos e privados que têm sido responsáveis pelos bons resultados alcançados em 2019”.

A região do Porto e Norte foi aquela que registou este ano, até ao momento, maior crescimento da actividade turística em Portugal, reforçando o seu posicionamento no cenário nacional, numa demonstração de grande capacidade de atracção e, simultaneamente, de criação das condições necessárias para corresponder às necessidades e expectativas da procura turística”, acrescenta.

Durante os cinco dias da BTL, a TPNP vai realizar acções enogastronómicas e promover os eventos mais diferenciadores do território do Porto e Norte, entre as inúmeras actividades previstas.

Caracterização genérica da região
do Porto e Norte

Distinguida inúmeras vezes pelo seu património cultural e natural, a região Norte possui 25 sítios de área protegida, todos integrantes da Rede Natura 2000, num total de mais de 500 mil hectares.

Esta região orgulha-se dos seus cinco parques naturais, um parque nacional e três geoparques e dos cinco lugares classificados Património Mundial pela UNESCO: Centro Histórico do Porto (1996), Vale do Côa (1998), Centro Histórico de Guimarães (2001), Alto Douro Vinhateiro (2001) e Santuário do Bom Jesus de Braga (2001).

| DOURO |

O Vale do Douro é classificado Património da Humanidade pela UNESCO desde 2001.

Toda a região do Douro é um convite à descoberta. De carro, seguindo o fluxo de água ou atravessando vilas e aldeias; de comboio, serpenteando junto à margem; a bordo de um cruzeiro ou sobrevoando-o de helicóptero para apreciar os contornos da paisagem.

A sua oferta congrega a magnífica paisagem “cultural, viva e evolutiva”, as quintas, miradouros, os passeios fluviais em barcos de cruzeiro, o artesanato genuíno, a gastronomia, os vinhos, o azeite, os frutos secos, o folclore e, ainda, as aldeias vinhateiras de grande riqueza cultural, monumental, histórica e paisagística.

É a região berço do Vinho do Porto. No entanto, os vinhos de mesa, espumantes e moscatel têm ganho grande notoriedade nas últimas décadas, acumulando prémios e galardões.

A arte rupestre do Vale do Côa foi classificada Património Mundial em 1998, e graças a ela o Douro Internacional tem diversificado a sua oferta, designadamente em termos culturais, com a abertura do Museu do Côa que, a par das quintas, vinhos e de produtos endógenos, como as amêndoas, tem atraído muitos visitantes a este território com profundas raízes históricas e património natural e construído impressionante.

| MINHO |

Região com um património imenso, tradições culturais e gastronómicas. Santuários marianos, pontes medievais aldeias típicas; espigueiros, quintas, os solares brasonados, percursos pedestres, Caminhos de Santiago, instâncias termais e ecovias.

Repleto de rios – Cávado, Minho, Lima, Paiva, Tâmega – é destino de desporto aventura, boa comida e excelentes néctares da Região Demarcada dos Vinhos Verdes, com destaque para a casta Alvarinho.

Região de mil romarias ou festas populares. A riqueza dos trajes e das tradições religiosas e pagãs.

No Minho destacam-se, ainda, os centros urbanos, as praias atlânticas, as muitas serras do território e, também, as áreas protegidas, com especial enfoque para o Parque Nacional da Peneda-Gerês, classificado pela UNESCO como Reserva Mundial da Biosfera.

| PORTO |

A cidade do Porto possui uma próspera zona comercial, bairros de vivendas senhoriais e um centro histórico classificado Património da Humanidade.

É uma cidade cosmopolita, de grande movimento. Visitar a zona histórica é uma experiência inesquecível: conhecer o ambiente fluvial, o casario, as pontes, as caves de Vinho do Porto. Na Invicta respira-se cultura por toda a cidade – nas lojas, nos cafés e esplanadas, nos mercados, nos festivais de Verão e no S. João.

Tem muita procura a sua vida nocturna, conhecida pela segurança e mobilidade.

A Área Metropolitana do Porto é constituída por 17 cidades. Possui grande oferta de praias com ondas para a prática do surf, campos de golfe, dois casinos, uma marina e um porto para transatlânticos. Destacam-se, ainda, vários núcleos de Turismo Industrial, a Rota do Românico, museus, mosteiros seculares, castelos medievais, igrejas com traço de Nasoni e muitos edifícios de referência assinados por famosos arquitectos.

A gastronomia deste destino está assente em raízes tradicionais e ligada à dieta atlântica e mediterrânea, mas é ao mesmo tempo inovadora nas novas tendências da cozinha mundial. Valoriza, desde sempre, os produtos do mar e seus complementos, com destaque para a indústria conserveira da região.

| TRÁS-OS-MONTES |

Um território único pela grandeza que se assume como uma das regiões mais belas de Portugal.

Está divido em Terra Quente e Terra Fria e é, por excelência, um destino de natureza e de desportos ao ar livre. As oliveiras, amendoeiras, sobreiros e vinhedos são característicos da Terra Quente, bem como a raça autóctone ovina churra cujo leite dá origem ao famoso queijo “terrincho”.

Desde a observação de aves, aos passeios a cavalo ou burro, passando pelas montarias de caça ou pelas incursões em todo-o-terreno, muitas são as experiências possíveis na Rota da Terra Fria Transmontana.

Por toda região vale a pena conhecer as barragens e albufeiras dos Parques Naturais e Áreas Protegidas. E ainda as aldeias perdidas no tempo, com tradições e festas populares sem igual no resto da Europa, onde se pode descobrir uma gastronomia com sabores únicos e onde os fumeiros ou enchidos são presença obrigatória, aliados aos vinhos da Região de Trás-os-Montes.

Terras de gente hospitaleira, possuem, ainda hoje, rituais únicos associados às festas como o Carnaval ou o Natal com excelente tradição gastronómica. Com uma história de mais de sete séculos, testemunhado nos mosteiros, igrejas, castelos, centros históricos medievais, estâncias termais romanas, entre muitos outros exemplos de património histórico de vários estilos e épocas, como a “língua mirandesa” ou as danças dos Pauliteiros.

Trás-os-Montes guarda, ainda, em vários dos seus municípios a tradição dos Caretos, única no mundo. Em Podence, Macedo de Cavaleiros, os seus Caretos preparam-se para serem elevados pela UNESCO a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Actividade Turística 2019
(
Janeiro a Setembro)

O crescimento da actividade turística da região do Porto e Norte, nos primeiros nove meses do ano, aproximou-se dos dois dígitos, liderando a análise a nível nacional. Comparativamente com o período homólogo do ano passado, a região cresceu 9,6 por cento, somando mais de 8,3 milhões de dormidas no total.

O Norte liderou também, nos primeiros nove meses do ano, as dormidas totais no segmento do turismo no espaço rural e de habitação, concentrando 30,5 por cento do total nacional.

Destaca-se, igualmente, no que respeita ao alojamento local, com uma quota de 20,9 por cento.

Em termos de evolução dos proveitos, o Porto e Norte manteve, ao longo do ano, uma trajectória de crescimento que, no acumulado de Janeiro a Setembro, alcançou uma subida de 14,1 por cento, correspondendo a um aumento de 112 milhões de euros.

Destaque, ainda, para o desempenho do Porto, que registou 6,2 por cento do total de dormidas a nível nacional nos primeiros nove meses do ano, fruto de um crescimento de 9,6 por cento em relação a 2018. Os não residentes representaram 83,3 por cento das dormidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.