Vila Galé Collection Elvas – Historic Hotel, Conference & Spa inaugurado após investimento de 9 milhões de euros

Fotografia: ODigital.pt

 

Elvas tem a partir de hoje uma nova unidade hoteleira, Vila Galé Collection Elvas – Historic Hotel, Conference & Spa.

Uma obra que resulta do programa Revive, reabilitando o antigo convento de São Paulo, em Elvas, sendo o primeiro hotel a abrir em Portugal no âmbito do programa Revive.

Fotografia: ODigital.pt

Entre várias personalidades presentes, destaque para o presidente do grupo Vila Galé, Jorge Rebelo de Almeida, responsável pela cadeia Vila Galé, que nos disse que “os grandes desafios da vida são estes. Foi fazer uma revitalização…era uma pena se esta obra caísse, porque isto estava a beira de cair, aquelas paredes da igreja, não tinha telhado, aqui não tinha telhado, estava num estado miserável. Mais 4/5 anos no máximo e isto caía tudo redondo”.

Por isso, eu hoje tenho uma satisfação muito grande, digo à minha gente que foi muito sofrido, mas foi um privilégio a gente poder fazer desta obra, uma imagem para o Vila Galé, o país e para o interior. E vamos fazer mais aqui no distrito, temos a coudelaria em andamento, e estamos a estudar ali Portalegre também, o Convento São Francisco, quando a gente ganha embalagem não é difícil fazer… O interior não é favor nenhum, isto aqui é maravilhoso, disse a muitos convidados hoje que estão aqui, para darem uma volta por aqui, é uma cidade maravilhosa, uma cidade desconhecida do país, há muita gente que não conhece Elvas, aquele espaço ali do Castelo é uma coisa maravilhosa…”, acrescentou, um revelando assim os projectos que o grupo tem para o Alentejo.

Precisamos de muita ajuda porque é difícil viabilizar estes investimentos no interiordisse sobre o esforço para colocar de pé este projecto, antes de vaticinar que “acho que vai dar certo, Elvas vai entrar numa onda boa. Começámos no Douro que também era difícil, e o Douro vai ser futuro. E o interior aqui do Alentejo também. Vai ter futuro porque as pessoas são maravilhosos, isto é bonito, a comida maravilhosa, é apenas preciso fazer-mos um pouco de esforço e acreditar. Não vale a pena é chorar”.

Sobre o investimento, disse que “ainda não fechei as contas mas aqui entrou uma coisa que por norma não entra nas nossas contas que é o ‘já agora’. O ‘já agora’ foi uma coisa que entrou mas também fizemos muita pedra mármore, muita coisa bonita, mas que também se chega ao fim e fica-se muito feliz. Porque também se a gente não tivesse feito poupava um bocadinho mas depois ficava a pensar ‘devia ter feito aquilo’. Ultrapassa os 9 milhões. Já temos a funcionar 43 postos de trabalho directos e outros indirectos”.

A secretária de estado do turismo, Ana Mendes Godinho, lembrou que “Elvas é o primeiro imóvel Revive que abre ao público e que mostra que este programa está a acontecer e que vale a pena acreditar. Há 3 anos toda a gente dizia que era impossível, que não ia acontecer nunca, e de repente temos aqui a recuperação extraordinária de um imóvel que estava sem uso, que estava inseguro, as pessoas não podiam visitar, teve até um incêndio se nos lembrarmos todos, e agora está aqui transformado num activo que vem trazer mais oportunidades a Elvas. É uma forma de colocar, mais, Elvas no mapa, abrir o mapa turístico de Portugal e cumprir cada vez mais esse objectivo de desenvolvimento turístico a acontecer no interior”.

Deixou ainda a garantia de que “temos vários projectos Revive no Alentejo. Penso que será até já o segundo a ser inaugurado, a seguir ao de Alter, e penso que vai continuar porque é um programa que tem estado a correr tão bem, vamos aumentar o número de imóveis do Revive, vamos lançar uma 2ª nova fase do Revive, que vai também ter mais imóveis no Alentejo”.

O Presidente da Entidade de Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, recordou a importância desta unidade, pois “ tive ocasião de dizer isso à alguns anos quando o Vila Galé se instalou em Évora. Na altura havia algumas dúvidas sobre o que significava ter uma cadeia hoteleira com esta dimensão e prestigio na cidade de Évora. E só nesse ano a procura cresceu cerca de 24% e a oferta 20%, portanto a procura cresceu acima da oferta. Portanto, o Vila Galé não é apenas importante para o Vila Galé mas sim para a cidade de Elvas, vai ser importante para outras unidades de alojamento que aqui estão e vai ser importante para novas unidades de alojamento. É portanto uma questão de qualidade e excelência de um grupo, um grupo com muitos hotéis em Portugal e Brasil, um grupo que trabalha bem o segmento corporate, um grupo que trabalha segmentos de mercado que tem uma componente de promoção muito forte. Não tenho dúvidas que é um grande dia, uma grande vitória para Elvas e para o Alentejo”.

Já o presidente da autarquia de Elvas, Nuno Mocinha, revelou que “todos colocámos muito empenho: Vila Galé, a cidade, a câmara. Eu acho que foi feito um trabalho excelente e recuperação num edifício que estava completamente abandonado, como nós sabemos, numa zona que precisava de levar o toque que levou, ficou muito bonita e eu penso que Elvas fica a ganhar”.

Acredita que esta unidade pode “levar o nome de Elvas muito longe e pode também trazer muitos visitantes e turistas que é aquilo que Elvas precisa, ajudando obviamente à dinamização económica do município”.

Há outros projectos, um deles já mesmo a terminar, na Rua da Figueira, o Palácio Travassos. Há outro que está numa fase inicial, falta assinar o contrato para se dar inicio aos procedimentos que se trata dos quartéis da Corujeira e o General. Estamos a ver primeiro se aquele projecto é exequível, para então depois assinar o contrato. Se for exequível, já temos interessados, houve quem ganhasse concurso e daí que possa vir a ser outra grande unidade a servir a cidade de Elvas”, acrescentou sobre os outros projectos hoteleiros em execução.

Esta unidade conta com 79 quartos, dois restaurantes, bar, piscina exterior, spa Satsanga com salas de massagens, jacuzzi, banho turco, sauna e piscina interior e ainda duas salas de reuniões, um salão de eventos e claustro.

O Antigo Convento São Paulo é um exemplo da arquitectura setecentista, este imóvel da Ordem de São Paulo começou a ser construído em 1679 e ficou concluído em 1721. Com a extinção das ordens religiosas em Portugal, foi, ao longo dos anos, tribunal militar, quartel e casa de reclusão. Desde 2004 que estava desocupado e em avançada degradação. Tem classificação de 4 estrelas.

 

Texto: Rui Lavrador
Fotos cerimónia: ODigital.pt
Fotos hotel: Vila Galé- Tiago de Paula de Carvalho

Rui Lavrador

Iniciou em 2011 o seu percurso em comunicação social, tendo integrado vários projectos editoriais. Durante o seu percurso integrou projectos como Jornal Hardmúsica, LusoNotícias, Toureio.pt, ODigital.pt, entre outros Órgãos de Comunicação Social nacionais, na redacção de vários artigos. Entrevistou a grande maioria das personalidades mais importantes da vida social e cultural do país, destacando-se, também, na apreciação de vários espectáculos. Durante o seu percurso, deu a conhecer vários artistas, até então desconhecidos, ao grande público. Em 2015 criou e fundou o Infocul.pt, projecto no qual assume a direcção editorial.

Rui Lavrador has 6322 posts and counting. See all posts by Rui Lavrador

Rui Lavrador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.