Terça-feira, Junho 15, 2021

Alcochete: Catedrático Telles e Excelente Rouxinol

Alcochete: Catedrático Telles e Excelente Rouxinol

Hoje, iniciou-se a temporada tauromáquica da castiça praça de Alcochete, num dia de sol, mas ventoso com um cartel de valor. 

Em praça estiveram os cavaleiros António Telles, Luís Rouxinol e António Prates, em substituição do cavaleiro Marcos Bastinhas. Compuseram ainda cartel os amadores de Vila Franca e os amadores do Aposento do Barrete Verde de Alcochete. Tiveram por missão levar por diante um rematado curro de Murteira Grave.

Para a primeira lide da tarde, em praça, o Mestre António Ribeiro Telles, que chegou a Alcochete depois de duas grandes atuações em Vila Franca e Salvaterra e por isso com altas expectativas da parte dos aficionados. Em sorte teve um Murteira Grave com 535kg e o nº42, toiro que saiu à praça muitíssimo bem apresentado… de comportamento começou a lide um tanto quanto a chouto, investindo no cavalo mas desligando-se com facilidade, mas ainda assim, a cumprir dentro do comportamento tanto quanto reservado.

Na sua lide, o cavaleiro andou bem, procurando os terrenos do toiro de forma a sacar-lhe a lide possível e a retirar algum sumo. Esteve bem em compridos e em curtos também se arrimou e desenhou uma lide competente, a um toiro que se desligava quase momentaneamente à reunião e que por isso não permitiu grande história na lide, se não a já tradicional categoria lidadora do mestre.

Abriram praça, pela rapaziada das jaquetas os Amadores da “Vila”, para a cara deste toiro o forcado Guilherme Dotti, que brindou ao público de Alcochete. De fronte ao toiro, na sua primeira tentativa o toiro arrancou-se mal, confrontou com o forcado, este ainda tentou mandar e reunir como mandam as regras, mas, não aguentou a primeira mangada dura. Na sua segunda tentativa, o toiro teve exatamente o mesmo comportamento, tendo o forcado tentado recuar e ajeitar a investida e a reunião, aguentando ainda dois violentos derrotes, mas a não conseguir consumar. Na terceira tentativa, já com ajudas carregadas, não aguentou o grupo a investida dura e com força deste Grave e não conseguiu uma vez mais consumar. Consumou o grupo à quarta tentativa, com todo o grupo a carregar e a fechar, procurando pôr fim a esta missão, honra para o grupo que não se desorientou!

Na segunda lide da tarde, em praça o cavaleiro Luís Rouxinol, para lidar mais um Murteira Grave, toiro de comportamento díspar do anterior, mais disponível, a transmitir e também de apresentação melhor. Na sua lide, o mestre de Pegões andou bem, a entender-se bem com o toiro sem medos nem peneiras e a desenhar uma lide de muito bom tom, entusiasmando o público de Alcochete, nota para o penúltimo curto com uma reunião ajustadíssima, bem!

Para a pega deste segundo da tarde, em praça os amadores do Barrete Verde de Alcochete, para a cara o forcado João Armando. De frente ao toiro, andou bem o forcado, a falar com o toiro e a mandar na pega, reunião com galhardia e com o grupo a fechar bem, consumando à primeira tentativa a pega.

Para a terceira lide da tarde, o  jovem cavaleiro António Prates, que tem compromisso duplo nesta praça, dada a lesão do cavaleiro Marcos Bastinhas. Em sorte, calhou um toiro a ligar-se desde logo com o cavaleiro e a empregar-se com ele. O jovem cavaleiro consentiu, logo no desenrolar do toiro, um violento toque contra tábuas que não se consumou em queda por pouco, deixando o cavalo claramente tocado das patas. Na sua lide, andou do ganas, mas bem sabemos que nem sempre chega, desenhou uma lide de disponibilidade e vontade, mas que deixou pouco sumo, ainda assim cumprindo e aproveitando mais este exemplar Grave, que sem ser de bandeira não complicou a vida ao cavaleiro e serviu. 

Nota para os dois vistosos últimos curtos, com batida ao piton, consumando numa reunião ajustada e a transmitir.

Para a pega deste toiro, os amadores de Vila Franca, na cara o forcado Pedro Silva. De frente ao toiro esteve bem o forcado, a citar, a templar, reunindo bem e com o toiro a vir “pelo seu caminho”, o grupo fechou e permitiu consumar à primeira tentativa.

Prosseguindo no espectáculo de hoje, entrou em praça o cavaleiro António Ribeiro Telles, para lidar o Murteira Grave com 510kg e o nº21. 

Mestre António Ribeiro Telles recebeu este seu segundo da tarde à porta gaiola, mas a não conseguir consumar a sorte, ficou a coragem e a intenção. Mais um toiro a sair um tanto quanto distraído, ainda assim, a vir de menos a mais e a empregar-se com o cavaleiro, e muito a custo da insistência e do saber do mestre, desenhando mais uma lide extraordinária em Alcochete, transpirando poderio, querer e acima de tudo regularidade. Que forma apresenta o mestre esta temporada! 

Para a pega deste quarto da tarde, novamente em praça os amadores do Aposento do Barrete Verde, para a cara o forcado Diogo Amaro.

De frente ao toiro na sua primeira tentativa pouco conseguiu fazer, o toiro mal vê o forcado arrancou-se “a 200km/h” e despejou forcado e grupo, decorrendo de forma idêntica na segunda tentativa, sendo que, nesta ainda o forcado recuou com o toiro, procurando ajeitar a investida que vinha a ensarilhar. Na terceira tentativa, o forcado já reúne, mas faltou grupo. Consumou à quarta tentativa, já de ajudas carregadas e sem dar hipótese ao toiro.

Para a quinta lide da tarde, novamente em praça o cavaleiro Luís Rouxinol para lidar um toiro com 525kg  e o nº3. Toiro de comportamento inquieto, a não se deixar colocar, sempre andarilho, mas a vir de menos a mais e acabando por permitir uma lide de ligação .

Na sua lide, o mestre de Pegões tentou arrancar uma atuação das suas, e efectivamente embalado uma vez mais pelo já veterano Douro, meteu-se por diante deste Murteira Grave e aproveitando os galopes cadenciados que este lhe disponibilizava fez dele “gato sapato” e preparou e rematou cada ferro com bonitas bregas ajustadas, cravando de verdade e à tira, levando a cabo uma lide vistosa e bem conseguida a um toiro que não rompendo nem levantando praça, serviu e permitiu ao cavaleiro pisar os seus terrenos e explorar tanto quanto quis. Nota para o último e já tradicional par de bandarilhas em que o Douro consentiu até mais não e permitiu encerrar com chave de ouro esta passagem por Alcochete.

Para pegar o este quinto da tarde, os amadores de Vila Franca, para cara o forcado Vasco Pereira, cabo da formação vila-franquense, brindando ao público. 

De fronte ao toiro o cabo deu o exemplo, parou, mandou, templou, carregou e soube sacar-se, mas não aguentou o segundo derrote duro deste quinto da tarde e faltando grupo não consumou. Na sua segunda tentativa, teve igual irrepreensível e aqui o grupo já fechou bem e permitiu consumar, Bem! Nota uma vez mais, para o bem rabejar do grupo de Vila Franca.

Volta ao ganadeiro neste quinto da tarde…. fraca exigência esta da tauromaquia portuguesa, é verdade que este quinto serviu e teve disponibilidade, mas, justifica chamar à praça o responsável da ganadaria? Especialmente tendo em conta os que já hoje aqui se viram?! Enfim… somos uns maldizentes…

Para encerrar esta tarde que já ia fria e ventosa, em praça o cavaleiro António Prates para lidar o Grave com o nº24, mal sai à praça torna-se memorável por partir parte da teia, coisas da festa, mas de comportamento poderia ter sido o melhor da tarde deixou esse sabor na boca, mas faltou lide.

Na sua última lide, cumpriu o jovem cavaleiro, consentido um ou outro toque mas a cumprir a tarefa de levar por diante este sexto da tarde, ainda que sem grandes brilhos. Amanhã há mais! 

Para encerrar esta tarde em praça, os amadores do aposento do Barreto verde, em praça o cabo da formação Marcelo Loia.

De frente ao toiro esteve quanto possível o forcado, perante um toiro que se arrancou mal o viu mas se parou batendo na reunião, não tendo o forcado conseguido aguentar as mangadas. Na segunda tentativa bem o forcado com o toiro, a vê-lo arrancar-se para si e sem nada temer, carregau e saca-se dele reunindo com galhardia. Nota para a colocação do toiro que em nada ajudou a facilitar a pega.

Volta apenas para o forcado.

Texto: Francisco Potier Dias
Fotografias: Catarina Pedro

Francisco Potier Dias
Jurista. Aficionado. Coruchense.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,945FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
95InscritosInscrever