APSTE pede audiência a Marcelo Rebelo de Sousa: “É aquele a quem nos falta recorrer depois de todas as portas fechadas”

A Associação Portuguesa de Serviços Técnicos para Eventos (APSTE) enviou uma carta ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a solicitar uma audiência com carácter de urgência para dar a conhecer a situação muito complicada que atravessam as empresas do setor.

A APSTE qualifica a missiva de “Um grito de mais de um milhar de postos de trabalho, um grito de profissionais que querem trabalhar, mas que sabem que a retoma não pode ser realizada de forma apressada, ao mesmo tempo que não têm à vista qualquer solução, da parte de nenhuma instituição estatal, para o grave problema de liquidez que enfrentam”.

Perante este cenário, e depois de não ter tido respostas efetivas da parte do Governo, a APSTE justifica este pedido da seguinte forma: “Porque o Senhor Presidente da República é a voz que nos resta, é aquele a quem nos falta recorrer depois de todas as portas fechadas, porque confiamos no seu humanismo e no seu compromisso para com todos os portugueses e portuguesas, vimos por este meio solicitar uma audiência com carácter de urgência, que nos receba, para que lhe possamos descrever condignamente o real estado do sector e partilhar quais as medidas que consideramos fundamentais para garantir a sobrevivência das nossas empresas”.

E tudo isto com apenas um objectivo: “Queremos ser parte da reabertura do país, queremos dar tudo o que temos para que economia avance, queremos estar na linha da frente a iluminar os grandes e pequenos eventos e proporcionar a alegria daqueles que a eles assistem”.