COVID-19: “Suspeito que tenhamos mais imunidade do que o estimado”, revela Karol Sikora

Numa altura em que se anseia pela vacina contra o novo coronavirus, Karol Sikora, antigo chefe do programa de oncologia da Organização Mundial de Saúde (OMS), disse ser possível que o novo coronavírus desapareça naturalmente antes que haja uma vacina.

Foi através da sua página de Twitter que fez estas declarações e de imediato aumentou a esperança da comunidade internacional.

Estamos a ver um padrão muito semelhante em quase todos os locais. Suspeito que tenhamos mais imunidade do que o estimado. Temos de continuar a diminuir a velocidade do vírus, mas é possível que ele se esteja a esgotar por si só“, escreveu o médico.

Sikira baseou-se num estudo assinado por investigadores portugueses, brasileiros, britânicos e norte-americanos publicado na plataforma medRxiv.

Segundo a investigação, “à medida que o SARS Cov-2 se espalha, a sub-população susceptível reduz, causando um declíneo na incidência de novos casos“.

Eventualmente, os números susceptíveis tornam-se baixos o suficiente para impedir o crescimento da pandemia, ou, noutras palavras, o limiar de imunidade do rebanho é atingido“, lê-se também nessa investigação.

As autoridades de saúde estimam que a imunidade de grupo no caso da Covid-19 é atingida quando 60-70% da população fica imune.

Contudo, estes investigadores sugerem que “a variação na susceptibilidade ou exposição à infecção reduz essas estimativa“.