Batucadeiras de Cabo Verde trazem sons africanos ao Museu do Oriente

Batucadeiras de Cabo Verde

 

Os sons africanos vão invadir o Museu do Oriente com as Batucadeiras de Cabo Verde. Este grupo é formado por mulheres cabo-verdianas que habitam/habitavam no Bairro Alto da Cova da Moura, na Amadora. 

 

 

As batucadeiras do grupo Finka-Pé trazem o ritmo, vivacidade e tradição cultural cabo-verdiana ao Auditório do Museu do Oriente. A apresentação decorre no domingo,11 de Setembro, às 18.00, numa actuação que vai combinar dança e percussão. 

 

 

O Grupo de Batuque Finka-Pé surgiu em 1989 no âmbito das actividades desenvolvidas pela Associação Cultural Moinho da Juventude. Desde então, o grupo tem vindo a dedicar-se a esta prática como forma de divulgar a cultura cabo-verdiana e manter vivas as tradições do seu país. A maioria das mulheres que formam o Finka-Pé aprendeu o batuque em Cabo Verde durante a sua adolescência, segundo o processo tradicional de transmissão oral. A aprendizagem da música e da percussão é feita por imitação, nas primeiras vezes em que participam em batucadas, enquanto a dança é experimentada pelas jovens quando vão fazer recados, longe dos olhares curiosos, até se sentirem com coragem de se exibir no terreiro. 

 

 

O batuque é um dos géneros mais representativos do património musical da ilha de Santiago, tendo referências desde o século XVII. O batuque em Cabo Verde celebra momentos importantes de convívio das comunidades, como festas, vésperas de casamentos ou baptizados e a recepção de convidados. As batucadeiras fazem parte da identidade cultural do país. Dançando e cantando vão exprimindo os seus medos, receios, preocupações, vão dando conselhos e esperanças e reflectindo sobre o papel da mulher na sociedade. 

 

 

A apresentação do grupo Batucadeiras de Cabo Verde acontece no domingo, 11 de Setembro, às 18:00 no Auditório Museu do Oriente. O espectáculo tem 60 minutos, sem intervalo e o preço do bilhete custa cinco euros.