Joel Cleto vai evocar a importância do dragão para a cidade do Porto

joel cleto

 

O historiador Joel Cleto vai evocar o dragão enquanto antigo brasão da cidade. Os jardins de Nova Sintra, sede da empresa municipal Águas do Porto, vão receber neste sábado, dia 15 de Julho, a partir das 18:00, mais uma sessão de “Um Objeto e seus Discursos por Semana“.

A partir do antigo brasão da cidade, elemento restante da desmontada Fonte de S. Domingos que está colocado na entrada dos jardins de Nova Sintra, a sessão desta semana do programa municipal “Um Objecto e seus Discursos”, conversa semanal, propõe análisar um dos símbolos da Invicta, o dragão, elemento decorativo patente em diversos locais da cidade e que representa a nobreza, reconhecida por D. Maria II e D. Pedro IV aos cidadãos do Porto, pelo seu papel na defesa da sua causa e em particular no auxílio prestado durante o Cerco de 1832-1833.

O historiador e arqueólogo Joel Cleto, ligado ao Museu do Futebol Clube do Porto e que se vem destacando na divulgação dos pormenores históricos do Porto, realizará a sessão em parceria com o arquiteto Mário João Mesquita, que tem colaborado com diversas entidades na preservação de património, sob moderação do presidente da Águas do Porto, E. M., Frederico Fernandes.

O historiador, o arquiteto e o engenheiro civil que lidera a Águas doPorto analisarão assim os diferentes adeptos que aquele objecto representa, aproveitando o enquadramento dos jardins que, só por si, merecem ser redescobertos e que, desde o início desta semana, contam com uma escultura de Julião Sarmento que foi incluída no Mapa de Arte Pública do Porto.

Esta será a última sessão de Julho do programa cultural de divulgação do património material e imaterial da cidade, que interrompe durante o verão mas regressará em Setembro, integrando-se na homenagem que a Feira do Livro do Porto fará a Sophia de Mello Breyner Andresen.

As iniciativas deste programa são de acesso gratuito mediante levantamento de bilhete.