Terrakota com novo disco em Outubro: “Oxalá”

Terrakota

 

Os Terrakota estão de volta aos álbuns de energia limpa, formação renovada, baterias recarregadas e ainda com mais força.  

 

 

O novo disco da banda “Oxalá” é editado a 7 de Outubro. O primeiro single deste trabalho é a música “Mexe Mexe”. Esta música é para mexer mesmo: o corpo e, sobretudo, a mente. É uma canção simples, inspirada nos sons modernos oriundos do Zaire, Congo e Angola. 

 

 

Desde que voltaram à estrada em 2015, os Terrakota adquiriram inúmeras influências musicais trazidas das viagens que realizaram e cruzamentos pessoais que deram corpo à nova formação. Desde então  têm estado a trabalhar neste novo álbum, mas sem pressas e com o distanciamento.  

 

 

O disco é composto por uma música sincera e actual, executada integralmente por seres humanos.  

 

 

Destaca-se a secção rítmica pujante, diálogos constantes entre as linhas vocais, as guitarras, o kora, o sitar, o ballafon, as percussões e outros instrumentos provenientes de diferentes culturas que consolidam a linguagem “worldrootskota”, num mundo interligado e tricotado, onde são suprimidas todas as fronteiras, distâncias e barreiras. 

 

 

Num processo literalmente espontâneo, os Terrakota compuseram um álbum em que a maioria dos temas são em português e no qual a mensagem é transmitida com mais clareza. As músicas trazem uma sonoridade mais rock, em alguns momentos, embora a busca de constantes cruzamentos sonoros dentro do caldeirão multi-étnico continua.  

 

 

No álbum participaram: Vitorino, Mahesh Vinayakram, Selma Uamusse e Anastácia Carvalho, Florian Doucet, uma letra de Luaty Ikonoklasta e algumas contribuições visuais de Pedro Feijão e Caelyn Robertson. 

 

 

O grupo está constantemente à procura da alquimia musical perfeita.  

 

 

O ponto de partida para a composição é, como sempre, África, de onde se sai e aonde se volta, trilhando rotas de escravos em sentido inverso e bebendo da fantástica diversidade musical que daí nasceu e se espalhou pelo mundo fora.  

 

 

Para além da inspiração permanente de culturas de raíz, o estado das sociedades humanas e do planeta serve, mais uma vez, de base a uma mensagem crítica e consciente, de que a banda não abdica de fazer. 

 

 

Tal como nos últimos três álbuns da banda, trata-se de uma edição completamente independente, só possível graças à dedicação multidisciplinar dos membros da banda e à contribuição de pessoas que gostam da arte criada pelos Terrakota. O disco foi financiado através de uma campanha de CrowdFunding e à generosidade e entrega dos engenheiros de som e músicos de Lisboa que colaboraram na sua génese. 

 

 

O novo álbum de Terrakota, intitulado de “Oxalá”, será editado em Outubro e será apresentado ao vivo dia 7 de Outubro no Time Out Mercado da Ribeira em Lisboa, e dia 8 de Outubro, no Hard Club no Porto.