Benfica venceu Sporting por 2-1 com final épico

Benfica venceu Sporting por 2-1 com final épico, este domingo.

Anotações Importantes
11ª Jornada da Liga Portugal Betclic

Estádio da Luz
Localidade: Lisboa
Morada: Lisboa
Loatação: 65.000

Emissão
12/11/2023
BTV
20:30

Timeline
15′22′44′51′66′68′75′90+4′90+7′
Cartão amarelo a CoatesCartão amarelo a Gonçalo InácioGolo de GyokeresCartão Amarelo (2º) a Gonçalo Inácio e respectivo vermelho. ExpulsoCartão amarelo a João MárioCartão amarelo a HjulmandCartão amarelo a João NevesGolo de João NevesGolo de Tengsted
MoratoJoão Mário
TrubinOtamendiJoão NevesRafa
António SilvaFlorentinoMusa
AursnesDi Maria
Ricardo Esgaio
EdwardsDiomande
HjulmandAdán
GyokeresCoates
Morita
Pedro GonçalvesGonçalo Inácio
Matheus Reis
Benfica|Sporting
TrubinAdán
António SilvaDiomande
OtamendiCoates
MoratoGonçalo Inácio
João NevesRicardo Esgaio
FlorentinoHjulmand
João MárioMorita
AursnesMatheus Reis
Di MariaEdwards
MusaGyokeres
RafaPedro Gonçalves
TreinadorRoger SchmidtRúben AmorimTreinador

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Diogo Nora

Onzes Titulares

Benfica: Trubin; António Silva, Otamendi, Morato; João Neves, Florentino (Tengstedt, 64), João Mário (Guedes, 87), Aursnes; Di Maria, Musa (Arthur Cabral, 64), Rafa.

Sporting: Adán; Diomande, Coates, Gonçalo Inácio; Ricardo Esgaio, Hjulmand, Morita (Paulinho, 85), Matheus Reis (Nuno Santos, 73); Edwards (St. Juste, 57), Gyokeres, Pedro Gonçalves (Trincão, 73).

Suplentes:

Benfica: Samuel Soares, Arthur Cabral, Jurasek, Guedes, Tengstedt, Chiquinho, João Victor, Tomás Araújo, Tiago Gouveia.

Sporting: Adán; Diomande, Coates, Gonçalo Inácio; Ricardo Esgaio, Hjulmand, Morita, Matheus Reis; Edwards, Gyokeres, Pedro Gonçalves.

Benfica e Sporting defrontaram-se, este domingo, no Estádio da Luz, para a 11ª jornada da Liga Portugal Betclic.

Os dois treinadores não apresentaram grandes surpresas, com Schmidt a apostar em Musa no ataque e Rúben Amorim a colocar Matheus Reis na ala esquerda e a deixar Nuno Santos no banco.

Ambiente intenso nas bancadas, com anúncio de lotação esgotada, com o Sporting a fazer deslocar à Luz cerca de 3 mil adeptos.

A surpresa surgiu como início do jogo, com o Benfica a jogar em 4x4x2, com variante de 4x2x3x1, com Aursnes a defesa direito, Morato a defesa esquerdo, Otamendi e António Silva como centrais. Florentino e João Neves como médios centro, Di Maria na direita, João Mário na esquerda, Rafa no apoio a Musa.

O Sporting no seu habitual 3x4x3, com algumas variantes consoante o momento do jogo, indo do 5x2x3 ao 5x4x1.

Aos 6 e 7 minutos, o Sporting causou algum perigo através de dois pontapés de cantos consecutivos, com os adeptos do Benfica a poderem respirar de alivio.

Aos 8 minutos, Musa consegue segurar a bola na área, sobra para Rafa que na zona de penalti, atirou ao lado, falhando clamorosa oportunidade para abrir o marcador para o Benfica.

Aos 11 minutos, Rafa recebeu a bola de Florentino, na quina esquerda da área e rematou em arco, a bola foi desviada e embateu na barra. Grande oportunidade para o Benfica, novamente.

Aos 24 minutos, na sequência de um livre indirecto, João Mário ficou isolado, tentou o chapéu a Adán, mas saiu ao lado e o Benfica perdeu mais uma oportunidade de golo.

Aos 29 minutos, grande oportunidade para o Sporting. Canto batido da direita, Diomande saltou mais alto que todos, cabeceou e obrigou Turbin a esticar-se para uma grande defesa junto à relva.

Aos 32 minutos, mais uma grande oportunidade de golo para o Sporting. Perto da meia-lua da grande área, Edwards picou a bola, isolou Pedro Gonçalves e este frente a Trubin não conseguiu marcar ao guardião ucraniano, que fez uma excelente defesa.

Aos 40 minutos, Di Maria isolou-se pelo lado direito, avançou para a área e à saída de Adán atirou ao poste, porém o lance foi invalidado por posição de fora-de-jogo.

Aos 44 minutos, grande jogada do Sporting e Gyokeres a marcar. Edwards pegou na bola na direita, fez um túnel a Morato, desmarcou Gyokeres e o sueco de primeira atirou a contar, sem hipótese para Trubin. Grande golo do Sporting.

O Sporting foi a vencer para o intervalo, por 1-0, num resultado com alguma injustiça, tendo em conta que foi uma primeira parte dividida, com situações de golo para ambas as equipas, com ligeira superioridade encarnada.

O Benfica surpreendeu pela postura em campo, mais compacto, aguerrido, forte na pressão, enquanto o Sporting foi a habitual equipa segura, controlando os momentos do jogo, sabendo defender e atacar nos momentos certos. Primeiros 45 minutos de grande qualidade na Luz, com o Sporting na frente.

O Sporting entrou melhor na segunda parte, mas rapidamente ficou reduzido a 10 unidades, pela expulsão de Gonçalo Inácio. Já tinha visto um amarelo na primeira parte, fez falta dura sobre Rafa e Artur Soares Dias exibiu o segundo amarelo e respectivo vermelho, aos 51 minutos.

Nos minutos seguintes, o Benfica não criou perigo, mas Rúben Amorim refez o trio central defensivo, tirando Edwards e colocando St. Juste, aos 57 minutos.

Aos 60 minutos, boa jogada do Benfica pela direita, com Musa a desmarcar-se bem, mas a atirar por cima, com Coates ainda a desviar. Na sequência desse canto, João Mário rematou de fora da área, com a bola a rasar o poste da baliza de Adán, que ainda tocou na bola. Seria canto, mal a equipa de arbitragem a dar pontapé de baliza.

Aos 63 minutos, grande oportunidade para o Sporting, valeu intervenção à andebol, de Trubin com o pé.

No minuto seguinte, Roger Schmidt arriscou tirou Musa e Florentino e colocou Arthur Cabral e Tengstedt. Continuou a jogar em 4x4x2, mas com dois alas bem abertos, com João Neves e João Mário no meio campo e dois avançados centro no ataque. O Benfica passou a tentar carrilar jogo pelos corredores, com cruzamentos para a área, aproveitando os dois avançados centro.

Apesar de jogar com menos 1 elemento, o Sporting conseguiu controlar o jogo e manter o Benfica longe da área, com Amorim a refrescar a equipa e a tirar Matheus Reis e Pedro Gonçalves e a colocar Nuno Santos e Trincão.

Aos 76 minutos, Di Maria foi da direita para o centro e rematou fortíssimo, para enorme defesa de Adán.

O Benfica esteve muito melhor na primeira parte, 11 contra 11, enquanto na segunda foi perfeitamente controlado por um Sporting reduzido a 10 unidades. Teve menos chama, menos alma, menos intensidade.

Aos 85 minutos, Amorim tirou Morita e colocou Paulinho e pouco depois, dois minutos depois foi Schmidt a tirar João Mário e a colocar Guedes.

O Sporting perdeu na Luz, embora seja mais equipa, com as ideias melhor organizadas e praticadas, perante um bom Benfica na primeira parte e banal na segunda, porém com força para acreditar no ‘chuveirinho’ final.

Trubin ainda foi à área no final do jogo e foi numa bola parada que João Neves, após canto da direita, rematou com toda a força dentro da área, para o fundo da baliza de Adán.

Aos 90+6, Tengstedt ainda marcou o 2-1 para o Benfica, mas foi invalidado de imediato pelo árbitro assistente. Porém, o VAR reverteu a decisão e o golo foi mesmo validado.

Jogo intenso, impróprio para cardíacos e o Benfica iguala o Sporting na liderança do campeonato.

Árbitro: Artur Soares Dias
Árbitros Assistentes: Paulo Soares e Pedro Ribeiro
4º Árbitro: Fábio Veríssimo
VAR: Tiago Martins
AVAR: Luís Godinho

Assistência: 62.166 espectadores.

Disciplina: Cartão amarelo a Coates (15), Gonçalo Inácio (22 e 51), Edwards (56), João Mário (66), Hjulmand (68), João Neves (75). Cartão vermelho a Gonçalo Inácio (51)

Golos: Gyokeres (44), João Neves (90+4), Tengstedt (90+7)

Siga-nos no Google News

Artigos Relacionados