Quarta-feira, Setembro 29, 2021

Campo Pequeno: João Moura em ombros

Campo Pequeno: João Moura em ombros

Campo Pequeno: João Moura em ombros, após uma tarde de forte manifestação contra a homenagem, fora da praça, e uma noite de triunfo e bom toureio, dentro da praça.

Texto: Rui Lavrador
Fotografias: Rute Nunes e Carlos Pedroso

A Praça de Touros do Campo Pequeno recebeu, esta quinta-feira, uma corrida de touros de homenagem ao cavaleiro João Moura.
O cartel foi composto por João Moura, João Moura Jr. e Miguel Moura, os forcados de Santarém e Montemor e um curro de touros da ganadaria de Veiga Teixeira.

Antes da corrida e desde as 18:30, realizou-se no exterior da praça de touros do Campo Pequeno, uma grande manifestação contra a homenagem a João Moura, organizada pelo IRA (Intervenção e Resgate Animal) que junto da já habitual manifestação da Animal, juntou centenas de pessoas à frente da porta principal da sala lisboeta. Um forte aparato policial e grades em todo o redor da praça, mantiveram a segurança possível, sem contudo evitar os muitos impropérios ouvidos por parte dos manifestantes e o remesso de alguns objectos, como garrafas de água.

Quanto à corrida em si, o destaque era e foi João Moura.

João Moura recebeu estrondosa ovação de pé, aquando da sua entrada na arena, para as cortesias. Foi também guardado minuto de silêncio pelo falecimento de João Lopes Aleixo e Carlos Empis. A empresa Ovação e Palmas homenageou o cavaleiro, entregando uma placa evocativa dessa homenagem.

João Moura abriu as actuações com uma lide em tom positivo e muito aplaudida pela público que encheu a praça de touros para o homenagear. Frente a um colaborante touro, bem apresentado e sem complicar muito a actuação do cavaleiro, o homenageado da noite mostrou sabedoria para rapidamente o entender e perceber as distâncias para que as reuniões, embora nem sempre cingidas, fossem do agrado da assistência. Uma lide brindada ao empresário Luís Miguel Pombeiro, aos campinos (lembram-se da polémica com Diego Ventura?) e ao público.

António Taurino, pelos Amadores de Santarém concretizou a pega ao primeiro intento, aguentando a investida e derrote do touro, até ao grupo se fechar, apesar do touro ter mudando a trajectória.

João Moura Jr. brindou a sua actuação ao público, agradecendo a moldura humana no Campo Pequeno e a resposta dos aficionados à homenagem ao seu pai. O filho mais velho de Moura pintou aquilo que foi uma bela obra de arte. Depois de receber o touro em sorte gaiola, bem conseguida, cravou um segundo comprido. Na série de curtos, montando o Jet-Set, produziu um verdadeiro vendaval de Arte. Brega de muitos quilates, bem a escolher os terrenos e a mandar em todos os momentos da sorte. Três ferros de inegável valor, um deles em terrenos apertados. Moura Jr. além da inegável qualidade, que o coloca num patamar único, está actualmente a tourear a gosto, com alegria. É, neste momento, um regalo para aficionado apreciar.

João da Câmara concretizou ao primeiro intento, pelos Amadores de Montemor, numa excelente execução sua, bem secundada por boa performance do grupo.

Miguel Moura esteve soberbo na lide dada ao terceiro touro da noite. Uma senhora lide do jovem dinástico, com uma brega ladeada e as sortes a serem bem desenhadas, reuniões ajustadas e remates vistosos. Miguel está nesta temporada a pedir cartéis de máxima competição, dado o seu actual momento. Está mais maduro, com maior identidade na sua concepção artística e uma regularidade muito apreciável.

Salvador Ribeiro de Almeida, pelo grupo scalabitano, pegou ao primeiro intento, em mais uma boa pega.

Moura, João Moura! Uma grande, enorme, actuação frente ao quarto touro da noite. Os dois primeiros ferros curtos pagam o bilhete da corrida e demonstram, sem ser preciso, o porquê de lhe ser atribuída a genialidade dos predestinados da arte. Cite de praça a praça, batida ao piton contrário e reuniões cingidas. Cravou ainda mais dois curtos de boa nota. Actuação de grande nível, público de pé e saída em grande.

Francisco Borges, pelos Amadores de Montemor, concretizou a pega num excelente primeiro intento, aguentando-se bem na cara do touro, até o grupo conseguir fechar-se.

Bem, o director de corrida, ao atribuir duas voltas à arena ao cavaleiro e uma ao forcado. Percebeu o que esta noite se homenageava e foi assertivo nesta atribuição.

João Moura Jr. teve uma segunda actuação descolorida, abaixo do seu potencial. Tentou, tentou, insistiu e voltou a insistir, mas pouca coisa lhe saiu ao nível que sabe e pode estar. Tentou receber o touro com uma sorte gaiola ‘Mourina’, mas nem isso lhe saiu bem. Pela positiva destacar a excelente brega e um curto de boa nota, numa reunião mais ajustada. Moura Jr. enfrentou o pior touro da corrida.

Francisco Graciosa, pelos Amadores de Santarém, concretizou ao terceiro intento.

Miguel Moura brindou a sua actuação a António Ribeiro Telles, que se encontra actualmente internado. Uma actuação com grande impacto nas bancadas e com excelentes momentos de brega. Um forte toque na montada não retirou brilho a uma actuação, na qual se destacam dois curtos de boa nota, além de já anteriormente referida brega, que deixou o Campo Pequeno em polvorosa.

Francisco Barreto, pelos Amadores de Montemor, pegou ao segundo intento, numa extraordinária execução, agarrando-se bem ao touro, que mudou a trajectória, até o grupo fechar.

O curro de touros da ganadaria Veiga Teixeira saiu bem apresentado, com trapio, dissemelhante no comportamento e de capa, com o 5º touro da corrida a destoar dos restantes, sendo claramente o pior.

O espectáculo terminou com João Moura a ser sacado em ombros e com direito a volta à arena, numa noite de fortes emoções, dentro e fora da praça.

Fora da praça atacou-se o homem, devido a uma situação que cabe à justiça decidir se é culpado ou não (Presunção de inocência não pode ser apenas algo teórico e que aplicamos consoante os gostos), dentro da praça homenageou-se o cavaleiro tauromáquico e todo o seu percurso de inegável e incontestável valor.

Destaque ainda para o empresário Luís Miguel Pombeiro. Soube aguentar toda a pressão e polémica envolta da corrida, levou adiante a homenagem a João Moura e o espectáculo resultou triunfal. Goste-se ou não do estilo, Pombeiro foi um dos triunfadores da noite. Teria sido mais fácil não realizar a corrida, escolheu o caminho mais difícil e a aposta foi ganha em termos daquilo que foi o espectáculo dentro da praça.

Corrida dirigida pelo delegado técnico tauromáquico João Cantinho, assessorado pelo veterinário Jorge Moreira da Silva. José Henriques foi o cornetim.

Campo Pequeno: João Moura em ombros culminou assim um dia de fortes emoções.

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

23,900FãsCurtir
154SeguidoresSeguir
109InscritosInscrever