Colóquio “A Moita e o Toureio a Pé”

Colóquio “A Moita e o Toureio a Pé”, foi realizado ontem à tarde na Moita.

Colóquio “A Moita e o Toureio a Pé”

Texto e Foto: Sónia Batista

O Clube Taurino da Moita organizou durante a tarde de domingo, um colóquio com o tema “A Moita e o Toureio a Pé”.

A abertura do colóquio contou com uma bonita atuação do grupo Soledad seguindo-se o colóquio onde Bernardo Balé foi o moderador e como oradores tivemos os matadores de touros moitenses Luis Vital Procuna, Nuno Velazquez e Joaquim Cuqui.

Luis Vital Procuna e Nuno Velazquez atualmente matadores retirados foram a dupla moitense que mais mexeu com o toureio apeado em Portugal nos anos compreendidos entre 2000 e 2010. Depois deles, ainda não voltou quem avivasse o toureio a pé com a mesma força que estes dois matadores o fizeram!

Joaquim Ribeiro Cuqui matador no ativo e atual maestro na Escola Taurina da Moita, veio completar o cartel de oradores com uma perspetiva atual sobre o toureio apeado em Portugal.

Foi criado assim um painel de oradores bastante coeso e com conhecimento e provas dadas sobre o toureio apeado na Moita e a sua importância no mundo taurino.

O orador Bernardo Balé passou à plateia que reuniu na esplanada do Clube Taurino da Moita um resumo sobre a história do toureio da Moita, sobre a qual existem registos desde 1837, seguindo com uma retrospetiva sobre a Sociedade Moitense de Tauromaquia e a Escola de Toureio da Moita.

O resto da tarde baseou-se nos testemunhos e opiniões destes três matadores com diferentes cortes de toureio, mas todos com a uma mesma opinião sobre a importância que a Escola Taurina da Moita teve na formação de cada um.

Várias vezes os três matadores mencionaram o maestro Armando Soares e Júlio André pelo respeito, formação e apoio que deram aos jovens e pela importância que conseguiram para a Escola de Toureio da Moita, onde ainda hoje vários jovens crescem tecnicamente e moralmente na construção do sonho de ser toureiro, agora pela mão de Joaquim Ribeiro Cuqui.

É de referir que anteriormente a Joaquim Ribeiro Cuqui o maestro da Escola de Toureio da Moita foi Luís Procuna, portanto estes dois matadores conseguiram falar com conhecimento de causa sobre a Escola de Toureio da Moita na última década.

A “charla taurina” permitiu também relembrar a carreira de cada um destes matadores de touros moitenses e a refletir sobre o toureio apeado atual resultando assim em uma tarde agradável que permitiu ao aficionado aprender e reviver através das vozes destes três matadores de touros.

Siga-nos no Google News

Artigos Relacionados

Siga-nos nas redes sociais

31,799FãsCurtir
12,697SeguidoresSeguir
438SeguidoresSeguir
288InscritosInscrever